10 coletâneas nacionais que você tem que ouvir

1518
0
COMPARTILHAR:

É muito comum no meio musical artistas e bandas homenagearem uns aos outros através de regravações de canções do repertório deste ou aquele, principalmente os que se destacaram ou marcaram de alguma forma a história da música, seja nacional ou internacional. Desta forma demonstram a sua admiração e/ou influência que estes tiveram em sua carreira.

Nos últimos anos diversas e ótimas coletâneas foram lançadas, através de veículos de cultura pop e gravadoras reunindo nomes da cena contemporânea brasileira e de outros países também, tendo em sua grande maioria artistas independentes. Versões que conseguiram valorizar ou deixar ainda melhor as obras dos homenageados como Vinicius de Moraes e Baden Powell, Skank, Pato Fu, Titãs, Engenheiros, Raça Negra, Paralamas do Sucesso, Novos Baianos, Milton Nascimento e Odair José.

Os Afro-Sambas – Psicorixádelia

Lançado recentemente pelo site A Escotilha e produzido pelo jornalista Jorge Wagner o projeto Psicorixádelia revisita um dos grandes álbuns da música brasileira, Os Afro-sambas, que completou 50 anos em 2016. Gravado pelos memoraveis Vinicius de Moraes e Baden Powell, o disco trouxe o candomblé afro-brasileiro para dentro da música. No tributo a obra ganhou uma roupagem psicodélica com a participação de Aeromoças e Tenistas Russas (SP), Agoristas (GO), banda-fôrra (PB), Bike (SP), Bonifrate (RJ), Graxa (PE), Hierofante Púrpura (SP) e Jude (AL).


Tributo à Psicodelia Brasileira

Falando em psicodelia, vale destacar também a coletânea Tributo à Psicodelia Brasileira, idealizada pelo Psico BR Discos & Posters da Psicodelia Brasileira. O disco traz versões de 14 clássicos do gênero gravados originalmente por Serguei, Gal Costa, Rita Lee, Ronnie Von, Novos Baianos, A Bolha, Módulo 1000, Os Brazões, Som Imaginário e Ave Sangria.

Para essa homenagem foram chamados Bike, Rios Voadores, Catavento, Juvenil Silva e Verdes Valterianos, Vish Maria, Galo Power, Raio Buda, Orquestra Abstrata e Joe Silhueta, Smeke, Araça e Lô Cardoso.


Dois Lados – Um Tributo ao Skank

Outra coletânea saída do forno, Dois lados faz um passeio pela obra do Skank, que compreende 13 álbuns em 26 anos de carreira. Por conta disso o álbum foi dividido em duas partes cada uma com 16 canções. Claro que os grandes sucessos dos mineiros não ficaram de fora e ganharam belas versões de artistas que vem se destacando no país como AnaVitória, As Bahias e a Cozinha Mineira, André Abujamra, Rico Dalasam, Selvagens À Procura de Lei,  Dani Black, Francisco el Hombre, Wado, Graveola e Garotas Suecas, Ana Larousse e Leo Fressato, A Banda Mais Bonita da Cidade, Tuyo, Nevilton, Medulla, The Baggios, Lulina, Estaban, entre outros.

Disponível para download gratuito, o disco é um lançamento do site Screm & Yell e idealizado e produzido por Pedro Ferreira.

Disco 2


Jeito Felindie

Os  maiores sucessos do grupo de pagode Raça Negra foram regravados por vários nomes da cena independente brasileira. A coletânea lançada em 2012, pelo site Fita Bruta, apesar de trazer dois mundos opostos teve uma resposta positiva do público indie. Afinal, quem nunca cantarolou uma das canções da banda, até mesmo sem querer? É o meu caso neste momento.

Idealizado pelo jornalista Jorge Wagner, o tributo conta com as participações de Giancarlo Rufatto, Vivian Benford, Minha Pequena Soundsystem, Nana, Orquestra Superpopular, Harmada, Radioviernes, Amplexos e Letuce,  que deram voz a canções como “Cigana”, Cheia de Mania”, “Maravilha” e muito mais.


O Mundo Ainda Não Está Pronto

Comemorando os 25 anos de carreira em 2017, o Pato Fu ganhou um tributo idealizado por  Rafael Chioccarello (Hits Perdidos) e João Pedro Ramos (Crush em Hi-Fi). A coletânea O Mundo Ainda Não Está Pronto reúne diversos artistas do cenário independente nacional dando seu toque em versões para as canções da criativa e divertida banda mineira, as recriando em passeios por estilos como rock, tecnobrega, forró, rap, MPB, folk, stoner rock, psicodelia, experimentalismo…

Participam Antiprisma, Djamblê, Estranhos Românticos, FELAPPI e Marcelo Callado, Gilber T e os Latinos Dançantes, João Perreka e os Alambiques, Paula Cavalciuk, Serapicos, The Outs, Yannick com Camila Brumatti, entre outros.

Disco 2


Espelho Retrovisor

A mais controversa banda gaúcha, Engenheiros do Hawaii alcançou grande popularidade graças a hits como “Era Um Garoto que, Como Eu, Amava os Beatles e os Rolling Stones”, “Terra de Gigantes”, “Infinita Highway” e “Pra Ser Sincero”, entre outros. Liderada por  Humberto Gessinger, a banda gravou 18 discos ao longo de pouco mais de 23 anos de carreira.

Em meados de 2014, na véspera do grupo completar 30 anos, foi lançado e disponibilizado para download gratuito o tributo, intitulado Espelho Retrovisor, com a curadoria do produtor Anderson Fonseca. O trabalho reúne 21 versões do repertório do Engenheiros, tendo a participação, em sua maioria, de bandas do sul, mas incluí também uma artista internacional, a japonesa Tsubasa Imamura.


O Pulso Ainda Pulsa

Importante nome do Rock brasileiro, os Titãs também foram homenageados pelos blogs Crush em Hi-Fi e Hits Perdidos. O tributo O Pulso Ainda Pulsalançado no ano passado, reúne 33 artistas independentes, que deram uma nova cara aos grandes sucessos da melhor banda de todos os tempos da última semana, que já foi pauta na serie #MaratonaDiscográfica.

Participam Abacates Valvuldos, Aletrix, All Acaso, BBGG, Camila Garófalo, Cigana, Color For Shane, Danger City, Der Baum, FingerFingerrr, Giallos, Gomalakka, Horror Deluxe, Jéf, Moblins, Mundo Alto, Nãda, Não Há Mais Volta (com participação do Badauí, vocalista do CPM22), Paula Cavalciuk, Pedroluts, Penhasco, Porno Massacre, Ruca Souza, SETI, Sky Down, Subburbia, Subcelebs, The Bombers, Thrills And The Chase, The Hangovern, O Bardo e o Banjo, Ostra Brains e Videocassetes.

Disco 2


Tinindo e Trincando

Misturando  bossa nova, frevo, baião, choro, afoxé e ijexá ao rock n’ roll, os Novos Baianos marcaram a  música popular brasileira nos anos 70. Com um time de músicos de extrema qualidade, formado por Pepeu Gomes, Baby Consuelo, Paulinho Boca de Cantor, Luiz Galvão e Moraes Moreira, o grupo foi um fenômeno. A trupe lançou oito trabalhos, sendo o segundo disco, Acabou Chorare, um grande clássico e em 2007 foi eleito pela revista Rolling Stone como o melhor disco da história da música brasileira

A banda serviu e ainda serve de inspiração/referência para os muitos artistas brasileiros. Pela sua representatividade e por sua influência, o site Jardim Elétrico em parceria com o RockinPress, organizaram em 2014 uma coletânea em tributo a banda. Entre as participações estão Cícero, A Banda Mais Bonita da Cidade, Fernando Temporão, Clara Valente, Leo Versolato, Guidi Vieira , Flavio Tris, Camará, Rodrigo Del Arc, Daniel Andrade, Os Criaturas, Diogo Poças, Larissa Baq, Mariana Volker e Marcelo Perdido.

Disco 2


Mil Tom

Por tudo o que representa, Milton Nascimento dispensa apresentação. Como Abner Moabe descreveu muito bem na primeira parte da #MaratonaDiscográfica sobre o cantor “A voz dos hinos extra-oficiais do Brasil, Milton Nascimento é um dos pilares da música brasileira, ao lado de nomes como Gilberto Gil, Caetano Veloso e Chico Buarque. Principal expoente do Clube da Esquina, movimento que colocou Minas Gerais de vez no mapa musical do país, Bituca, como é chamado pelos amigos, possui uma obra que é matéria básica para todo e qualquer amante da música brasileira”.

Em 2015 Milton completou 50 anos de carreira, para celebrar esse marco o produtor mineiro Pedro Ferreira em parceria com o Scream & Yell lançou a coletânea Mil Tom. O trabalho, dividido em  duas partes, reúne artistas de vários gêneros e estados como Vanguart, Aline Calixto, Karol Conka, Rashid, Dani Black, Blubell, Felipe Cordeiro, The Outs e Pélico. Os dois discos estão disponíveis para download gratuito.

Disco 2


Caleidoscópio – Um Tributo Ibero-Americano aos Paralamas do Sucesso

As canções dos Paralamas do Sucesso transcendem as barreiras geográficas. Não por acaso o jornalista Leonardo Vinhas juntamente com o escritor e produtor cultural colombiano Andrés Correa lançaram através do Scream & Yell um disco com releituras das obras de Hebert Vianna, Bi Ribeiro e João Barone feitas por artistas do Peru, Costa Rica, Venezuela, Argentina, Uruguai, Portugal, Chile, Bolívia e do Brasil.

Grandes sucessos como “Uma Brasileira”, “Ela Disse Adeus”, “Lanterna dos Afogados”, “Alagados”, “Caleidoscópio”, “Vital e Sua Moto”, estão entre as 18 canções selecionadas. A coletânea pode ser baixada gratuitamente.


Outras coletâneas imperdíveis:

– Vou tirar você desse lugar: Tributo a Odair José uma nova geração de artistas da música brasileira revisita o repertório de Odair José. Lançado pelo selo Allegro Discos. 

Tributo a Tropicália – Produzido pelas Fábricas de Cultura Zona Leste em Fevereiro/Março de 2015. Traz artistas da periferia de São Paulo. Destaque para as faixas “Mamãe, Coragem” (Giselle Vergna),  “Alegria, Alegria” (Tito Amorim) e “Panis Et Circenses” (Família Justa Causa).

– As Lembranças São Escolhas – Coletânea em homenagem aos 30 anos de carreira do cantor e compositor Dary Junior, que foi vocalista, dentre outros projetos, do Terminal Guadalupe.

Re – Trato  – Tributo duplo aos Los Hermanos organizado pelo site Musicoteca, em 2012.

– Ainda Somos os Mesmos – Com curadoria e produção de Jorge Wagner, o tributo a Belchior foi lançado pelo Scream & Yell em 2014. 

Tributo ao Sub – Idealizado pelo site Nada Pop, a coletânea faz um tributo aos 40 anos do Punk no Brasil. 

– No Abismo da Alma – Um tributo ao Movimento Undigrudi – A coletânea faz uma homenagem aos grandes nomes da psicodelia pernambucana.

Agenor – Projeto idealizado pelo DJ Zé Pedro e com a curadoria de Lorena Calabria, o tributo traz 17 canções de Cazuza, todas lados B.

Ainda há Coração – Lançado pelo Scream & Yell, o tributo revisita as obras  de Alceu Valença.

COMPARTILHAR:

Comentários no Facebook