Conheça a história da canção ‘Avenida Sete’ gravada pela Maglore

299
0
COMPARTILHAR:

“Avenida Sete” é uma canção do pintor e guitarrista Marceleza de Castilho. Ela foi escrita a partir das suas vivências na Avenida Sete de Setembro – um trajeto histórico da cidade de Salvador, com 4,6 km de extensão, que reúne pessoas, lojas, ambulantes, praças e igrejas históricas.

O artista conta que iniciou os seus estudos no Colégio Nossa Senhora das Mercês que fica na Avenida. “Ao longo da adolescência eu e meu irmão percorríamos diariamente o trecho da escola até o corredor da Vitória para almoçar com nossa Mãe que até hoje trabalha lá. Gastei muita na sola naquelas redondezas”, conta o guitarrista.

A canção foi escrita nos idos de 2012 quando Marceleza refletia vivências urbanas e buscava traduzi-las em canções para o repertório da Suinga, banda em que tocava guitarra. “Dela eu lembro que o primeiro verso veio pronto e o restante não teve dificuldade para sair. Daí passei a tocá-la nas diversas rodas de cerveja, prosa e violão – encontros frequentes entre amigos de muitas bandas que vivam uma simbiótica fase-geração”, reflete.

O tempo trouxe novidades e “Avenida Sete” mudou-se junto com Marceleza para La Rochelle na França. Ela seria lembrada pelo cantor Teago Oliveira, vocalista da Maglore, que ligou do Brasil dizendo que estava trabalhando no segundo disco do grupo (Vamos Pra Rua) e que pensavam em gravá-la. “O pedido foi aceito de pronto. Passei a noite escrevendo uma segunda parte, que enviei em dois dias. Depois fiquei de lá ansioso aguardando o resultado que ficou simplesmente emocionante”, entrega Marceleza.

“Quando ouvi “Avenida Sete” a primeira vez, guardei na mente. Mudamos pra São Paulo e aquela melodia ainda ecoava na minha cabeça, Era algo nostálgico pra mim e pra banda. Ela traduzia nosso sentimento por Salvador, por estarmos longe pela primeira vez e pelo Vamos Pra Rua ser um disco sobre pessoas e lugares”, explica Teago

Da França Marceleza acompanhou a repercussão de “Avenida Sete” no repertório da Maglore: assistia a vídeos dos shows, recebia o retorno em mensagem dos amigos. Ainda faltava assisti-la sendo executada ao vivo: ocasião que se cumpriu em 2016, quando em visita à família em Salvador, compareceu ao show da Maglore no Festival Sangue Novo. Na semana seguinte seguiu em turnê com o grupo para Feira de Santana e subiu no palco para cantar Avenida Sete

Foto: Leo Monteiro
COMPARTILHAR:

Comentários no Facebook