Conheça a história de “Pálpebra” gravada pela Radiola

480
0
COMPARTILHAR:

“Pálpebra” é uma parceria musical do cordelista Zezão Castro com a banda Radiola. Ela surgiu no canto de improviso, um repente acompanhado ao violão, quando da visita do poeta ao estúdio Casa das Máquinas. “Me veio essa história de um pistoleiro que se despede de alguém e tem que pegar a BR para ir executar seu próximo serviço junto a uma mulher. Segue sem saber que dia volta, nem se volta”, explica Zezão.

Com a gravação de “Pálpebra”, a banda Radiola encerra um jejum de 5 anos sem lançar músicas inéditas. Ela é também a primeira faixa da banda em que o músico Tico Marcos assume os vocais. No arranjo, a diversidade musical característica do grupo aparece à serviço de uma atmosfera densa que confere à canção contornos de uma narrativa cinematográfica. O letrista Zezão celebrou o resultado: “Por serem músicos tarimbados, souberam revestir muito bem o clima: guitarrinha cangaceira, escaleta que simula uma sanfona com melodia arabesca e um cantar martelado, raivoso”.

Assim o grupo conferiu música à dramática sina do pistoleiro narrada na letra: “O matador guarda uma relação íntima com uma moça, mas ao mesmo tempo precisa dos seus colares de pérolas.A amante está sempre na cabeça dele como provedora desse desejo, mas também de riqueza. Só que o destino dele é ‘correr trecho'”, explica Tico Marcos. “Pálpebra” está entre as músicas finalistas do XV Festival de Música da Educadora. A indicação foi bem recebida pelo grupo, um arranque no próximo disco que já se encontra em processo de gravação sob os cuidados do mago Tadeu Mascarenhas.

COMPARTILHAR:

Comentários no Facebook