Conheça a História do Reggae e a Tradição Musical Jamaicana!

COMPARTILHAR:

Poucos artistas da música pop podem ser reconhecidos indiscutivelmente como os mais importantes da história, e um deles é Bob Marley. Durante a década de 1970, com a sua banda de apoio The Wailers, Bob teve um papel fundamental para disseminar o gênero do Reggae, trazendo à tona clássicos aclamados como “No Woman No Cry”, “Is This Love” e “Rebel Music”. Em poucos anos os seus hits conseguiram elevar o Reggae de ritmo caribenho relativamente desconhecido a um dos estilos musicais mais ouvidos e tocados no mundo todo (inclusive do Brasil, como mostra o sucesso de bandas como Natiruts e Planta e Raiz).

O ritmo menos acelerado, as guitarras em contratempo e as linhas de baixo bem marcadas tiveram um forte impacto nos artistas da geração dos anos 70, fazendo até o Guitar God Eric Clapton tentar os acordes sincopados em seu cover de “I Shot The Sheriff”. E mais do que isso, fez os ouvidos mais atentos se voltarem para a extensa tradição musical da Jamaica, a pequena ilha que até então já havia produzido ritmos originais como o Rocksteady e o Ska, ambos reconhecidos como patrimônio cultural do país.

Acompanhando o som inovador, as letras do Reggae traziam uma mensagem revolucionária, propondo a devoção a Jah, a volta dos povos africanos ao seu continente de origem e o fim da opressão da Babilônia. Era a influência do movimento Rastafari, a religião que cresceu entre os jamaicanos durante o século XX e cuja história envolve o Antigo Testamento e um ditador da Etiópia que reinou durante a década de 30. Pode parecer algo desconexo, mas na voz de Bob Marley o rastafarianismo fazia todo o sentido, e por causa do seu talento milhões de fãs cantam até hoje por um mundo com mais harmonia.

 
Se você quiser conhecer mais da história do Reggae e descobrir uma lista de seus artistas e álbuns importantes, assista o video abaixo produzido pelo canal O Guia dos Estilos:

COMPARTILHAR:

Comentários no Facebook