Discos Nacionais Para Baixar 2017

27860
8
COMPARTILHAR:

Como fazemos há algum tempinho (confira 2013, 20142015 e 2016), o Som do Som traz uma lista, que ficará aberta até o fim do ano, dessa vez com os lançamentos nacionais disponíveis para download gratuito em 2017. São álbuns e EPs que recebemos diariamente em nossos emails ou que garimpamos, todos os links liberados pelos próprios artistas ou selos, tanto em seus sites oficiais como em plataformas onlines de publicação de áudio.

No caso do Bandcamp basta clicar no botão “buy now” e escolher quanto quer pagar, entre “0” e qualquer coisa. Para baixar de graça é só colocar “0”.

Baixe e conheça o som que vem sendo produzido no Brasil, mas não deixe de ir aos shows e, se possível, compre os discos físicos! Desta forma estará incentivando os artistas para que continuem fazendo trabalhos de qualidade.

Que venham muitos discos e música boa!

ATUALIZADO – 18/11

 

Rincon Sapiência – Galanga Livre

 

 

 

 

 

 

 

Velho conhecido da cena hip hop paulistana, Rincon Sapiência só foi lançar o seu primeiro disco neste ano e um baita disco, um dos melhores do ano. Galanga Livre vai da capoeira até o blues, passando pelo coco e pela Tropicália, até o afrobeat com letras criticas e politizadas. O próprio artista assina a produção do álbum, o lhe torna ainda mais digno de aplausos.

Gênero: Rap

Link: http://bit.ly/GalangaLivre


Nobat – Estação Cidade Baixa

 

 

 

 

 

 

 

O cantor e compositor Nobat resolveu lançar o seu novo álbum Estação Cidade Baixa (Un Music) de uma forma diferente. O músico dividiu o disco em três EPs, cada um com três faixas. Já foram liberados Estação, que versa sobre idas e vindas, morte e nascimento, encontros e despedidas, Cidade, que discute a Belo Horizonte contemporânea e as camadas sócio-políticas de seu imaginário atual e Baixa sobre a complexidade das relações afetivas e o deslocamento dos seres nas paisagens urbanas.

Gênero:

Link: https://nobat.bandcamp.com/album/baixa


 Muntchako – Muntchako

 

 

 

 

 

 

 

Com uma sonoridade contemporânea, marcada pela fusão de ritmos universais, dançantes e de diferentes batidas, o trio brasiliense Muntchako apresenta o seu primeiro álbum, homônimo. O trabalho é composto por sete faixas instrumentais. Curumin, além de lançar um dos melhores discos do ano é quem assina a produção musical dessa porrada cheia de malemolência.

Gênero: Instrumental

Link: http://www.muntchako.com/


Kalouv – Elã

 

 

 

 

 

 

 

O terceiro disco do quinteto pernambucano de rock instrumental, Kalouv, marca mudança na sonoridade da banda. Um post-rock combinado com sintetizadores e riffs curtos de guitarra. Com​ ​produção​ ​de​ Bruno​ ​Giorgi, foi através de um financiamento coletivo que se tornou possível, arrecadando mais de 100% da meta. O disco, lançado pelo selo sinewave, conta com as participações de Sofia Freire, Yukio (Hugo Noguchi), RØKR (Roberto Kramer).

Gênero: Post Rock

Link http://bit.ly/KalouvEla2017


Bratislava – Fogo

 

 

 

 

 

 

 

Em seu terceiro álbum, Bratislava explora novas camadas sonoras e adota um tom mais agressivo provocado pelo peso das guitarras e refletido nos vocais.  O disco mostra oito faixas compostas pelo vocalista Vitor Meira que falam de sonhos, relacionamentos, política, entre outros assuntos. Destaque para “Trancado”, “Enterro” (com a participação de Gustavo Bertoni, da Scalene) e a balada com toque de Rap “Dança de Doido” (com o cantor Aloizio).

Gênero: Rock/Experimental

Link: https://bratislavabr.bandcamp.com/album/fogo


Kelton – Lacunar

 

 

 

 

 

 

 

Dois anos depois do elogiado disco de estreia Distraído Concentrado, o brasiliense Kelton volta com Lacunar. Tão bom quanto o antecessor, o álbum é descrito pelo artista como seu disco mais pessoal até hoje. Poético, sincero e profundo o novo trabalho traz oito faixas que giram entorno de histórias de fim de relacionamento.

Gênero:

Link: http://lacunar.com.br/#ajuda


Luiz Gabriel Lopes – Mana

 

 

 

 

 

 

 

Dois anos depois de lançar O Fazedor de Rios, o carioca Luiz Gabriel Lopes, que também integra as bandas Graveola e TiãoDuá, apresenta o seu terceiro trabalho solo. Fruto de uma bem-sucedida campanha de financiamento coletivo, Mana é poético, contemporâneo, pop, brasileiro… é um disco que te prende a cada canção que se revela e quando você percebe já ouviu por completo com um sorriso nos rosto. O álbum conta com as participações especiais de Mauricio Pereira e Ceumar.

Gênero:

Link:  http://www.lglopes.com/


Apanhador Só – Meio que tudo é um

 

 

 

 

 

 

 

Produzido pela banda, em parceria com o guitarrista e engenheiro de som Diego Poloni, o álbum embarca na onda experimental em suas 15 canções. Fruto de uma campanha de financiamento coletivo, Meio que tudo é um conta com participações de expoentes da nova geração sul-americana, como as vocalistas Julia Ortiz e Lola Aguirre, do Perotá Chingó, o bardo Luiz Gabriel Lopes [Graveola] e cantores e compositores Ian e Thiago Ramil.

Gênero: Experimental

Link: http://apanhadorso.com/


Jan Felipe – Circular

 

 

 

 

 

 

 

Nascido no Rio, criado na França e residente em São Paulo, Jan Felipe lança o seu quarto álbum, intitulado Circular, O sucessor de Fuga (2016) traz mais dos sons que o músico explora com referências do meio alternativo contemporâneo. Referências estas adquiridas por onde passou, não é atoa que o disco traz 10 faixas em inglês, francês e português.

Gênero:

Link: http://bit.ly/JanFelipe_Circular


Trupe Chá de Boldo – Verso

 

 

 

 

 

 

 

Comemorando 10 anos de carreira, a banda Trupe Chá de Boldo resolveu celebrar de uma forma diferente. Ao invés de lançar um disco com inéditas, o grupo optou por regravar canções de artistas como André Abujamra, Iara Rennó, Juliano Gauche, Léo Cavalcanti, Pélico, Tata Fernandes, entre outros. Uma aposta que deu super certo, visto que, devido as experimentações sonoras, todas soam como novas nas mãos da Trupe.

Gênero:

Link: http://www.trupechadeboldo.com/baixar-discos-2017/


Amorina – Solidão & Tempo

 

 

 

 

 

 

 

Cantora, compositora e produtora atuante na cena feminina de autoras em Belo Horizonte, Amorina lança seu primeiro trabalho solo, Solidão e Tempo. O disco, resultado de uma bem-sucedida campanha de financiamento coletivo, tem formato de álbum visual, constituído de 08 faixas inéditas e 08 videoclipes que serão lançados mensalmente de novembro de 2017 a junho de 2018, no canal no YouTube da mineira.

Gênero: Folk/ Rock/ Pop

Link: https://www.palcomp3.com/amorina/


Bidu – DMPM-Vol.-1: O Início das Lendas

 

 

 

 

 

 

 

O disco-manifesto Do Mangue Pro Mundo Do Mundo Pro Mangue Volume 1: O Início das Lendas do artista sergipano Bidu mistura RAP, mangue beat – criado Chico Science, na década de 90 – com elementos da música eletrônica. O trabalho, que traz 13 faixas, é uma parceria do músico com o produtor Douglas de Paula e foi lançado pelo selo Mangue.

Gênero:

Link: http://bit.ly/2zDAJTG


Ralo – Hell is Real

 

 

 

 

 

 

 

Hell Is Real (Sinewave) é o segundo álbum do trio paulista Ralo. Assim como a estreia Horse Music, lançada em 2014, Hell Is Real traz uma sequência de faixas diretas e cruas, linkando diversas influências especialmente vindas dos anos 90 — o grunge do Nirvana e Melvins, o metal alternativo do Helmet, Deftones e Down –, mas apostando na ausência de vocais.

Gênero: Grunge/Metal

Link: https://sinewave1.bandcamp.com/album/hell-is-real


Beto Larubia – Febril

 

 

 

 

 

 

 

Ex-integrante da banda indie Colombia Coffee, o cantor e composiror carioca Beto Larubia se lança em carreira solo com 10 faixas inéditas em Febril, seu primeiro álbum. O lançamento, assinado pelo selo Garimpo, sintetiza de maneira intimista a trajetória de um personagem real e periférico que protagoniza perdas, introspecções e a descoberta de um amor livre de amarras, transitando por diferentes espaços e cidades.

Gênero: MPB

Link: http://betolarubia.com.br/


DuSouto – Conecta

 

 

 

 

 

 


Intitulado 
Conecta, o novo trabalho traz todas as influências adquiridas pela banda potiguar –  Gabriel Souto, Paulo Souto e Gustavo Lamartine – ao logo dos 14 anos de carreira, que vão desde o dub, como samba, raggamuffin, reggae, drum’n’bass, embolada, dancehall, psicodelia, tecno, forró e dubstep. As letras passeiam pelo bom-humor característico do trio com doses de ironia, reflexão e romantismo, sem deixar de tocar em assuntos como a situação política do país.

Gênero:

Link: https://dusouto.bandcamp.com/album/conecta


Avec Silenzi – Avec V

 

 

 

 

 

 

 

Novo EP do trio carioca, Avec V conta com cinco remixes de faixas do Avec III(2016), remixadas por promissores nomes da cena eletrônica nacional e internacional. Os brasileiros Pigmalião, Sentidor e Bemônio marcam presença com os remixes de “Ela”, “Auristéla” e “Alicate”, respectivamente; já o argentino Pablo Crisci assina “Ratalizer” e, por fim, o espanhol Carlos Martín, conhecido como Mynationshit, entrega sua versão de “La Unique”.

Gênero: Música Eletrônica

Link: http://bit.ly/AVECSILENZI


BEL – Quando Brinca

 

 

 

 

 

 

 

O belo disco de estreia de BEL, Quando Brinca, foi lançado no início do ano e testa os limites da canção popular, unindo tons eletrônicos, da MPB e de jazz para refletir o feminino e o mundo que cerca a mulher contemporânea. O álbum conta com oito faixas e participações especiais de Larissa Conforto, Laura Lavieri, Mari Romano, Rafaela Prestes, Diogo Sili, Qinho, Scott Hill e Pablo Arruda. A produção é assinada pela própria cantora em parceria com Gui Marques.

Gênero: Pop

Link: http://bit.ly/QuandoBrinca


Guga Bruno – Salte em pé pra longe do raio e do vento

 

 

 

 

 

 

 

Além de lançar o seu terceiro disco com músicas autorais, o carioca Guga Bruno disponibilizou o disco Salte em pé pra longe do raio e do vento. O trabalho nada mais é do que uma versão em português do icônico disco Sgt. Pepper’s lonely hearts club band, dos Beatles, que completou 50 anos do seu lançamento no começo de junho. A homenagem do cantor rendeu divertidas e ótimas canções. Além das faixas que compõe o disco original, a versão contou ainda com dois singles lançados em 1967.

Gênero:

Link:  http://bit.ly/guga_bruno


Os Gringos – The Animal Kingdom

 

 

 

 

 

 

 


Formada por quatro nativos dos EUA e um brasileiro nato em Itajubá, interior de Minas Gerais, a banda Os Gringos, radicada no Brasil desde 2013, lançou o seu segundo disco The Animal Kingdom por meio do selo Monstros Discos. São 14 músicas que trazem referências ao o rock clássico produzido nos anos 1960 e 1970. Um dos destaques do álbum, a faixa “Candy Coated Nightmare”, ganhou um clipe com lançamento exclusivo do Som do Som.

Gênero: Rock

Link: http://osgringos.com/discografia/the-animal-kingdom/


Kovtun – Infernal

 

 

 

 

 

 

 

Novo álbum do artista experimental de Ribeirão Preto (SP), Raphael Mandra, Infernal conta com dez faixas instrumentais com influências de dark ambient, drone e trilhas sonoras. As referências mais claras vêm do pioneiro da música ambiente Brian Eno e da dupla de drone metal Sunn O))).

Gênero: Ambiente

Link: http://sinewave.com.br/2017/07/kovtun-infernal-2017/


Sanitário Sexy – Eu Vou Me Comer

 

 

 

 

 

 

 

Explorando novas sonoridades, os baianos da Sanitário Sexy apresentam o sucessor de Metáfora (2014),intitulado Eu Vou Me Comer. Com produção de André T, o álbum mostra o amadurecimento do trio – Armando Rafael (Voz/Guitarra), Lucas Aquino (Baixo/Voz) e Victor Flores (Bateria/Voz) – em 10 faixas, que traz algumas participações especiais, como Luiz Caldas (“Nu e Cheio”), parceria com o poeta e compositor Manuca Almeida, além da gravação de uma canção do artista cearense Dudé Casado.

Gênero: Rock

Link: http://www.sanitariosexy.com.br/


Leões de Marte – A Face Mais Vermelha

 

 

 

 

 

 

 

Leões de Marte é um quinteto belo-horizontino de rock instrumental formado por Martin Montiel (guitarra), Rodrigo Nueva (guitarra), Rafael Dantas (guitarra), João Lopes (baixo) e Gustavo Angelis (bateria). Com influências de post rock, post metal e rock progressivo, a banda lança seu EP de estreia.

Gênero: Rock instrumental

Link: http://sinewave.com.br/2017/08/leoes-de-marte-a-face-mais-vermelha-2017/


Madame Rrose Sélavy – Festinha

 

 

 

 

 

 

 

“A Madame Rrose Sélavy reuniu seu novo time pra quebrar com tudo em Festinha. Apresentando as enérgicas baquetas de Raul Lanari na bateria, as linhas rítmicas de Marcos Batista no baixo, a conversa franca das guitarras de Rodrigo Lacerda e Alex Pix, e os irreverentes vocais de Ana Mo e Tuca. O novo álbum da banda foi gravado ao vivo em sessão única no estúdio Minotauro, em Belo Horizonte, trazendo a experiência do show com uma qualidade ímpar. Bote o mate couro pra gelar, arrede os móveis, acenda a velinha e divirta-se”.

Gênero: Punk

Link: https://madamerroseselavy.bandcamp.com/album/festinha


Dedé Santaklaus – HAHAHA

 

 

 

 

 

 

 

O baterista da banda mineira de Sete Lagoas, Absinto Muito, Dedé Santaklaus resolveu assumir o microfone e se aventurar em um trabalho solo em paralelo ao grupo. O resultado dessa experiência está no disco HAHAHA que o músico lançou em outubro pelo selo Fiasco Records. Um som eletrônico, com pitadas psicodélicas e pop representado em oito canções gravadas, mixadas e masterizadas pelo próprio artista.

Gênero:

Link: http://bit.ly/DedéSantaklaus


Sick – Para Uso Recreativo

 

 

 

 

 

 

 

Sick é uma banda de post-rock instrumental de Uberlândia, MG. Influenciados por bandas com vertentes de composição livre de um único rótulo, o trabalho do quarteto preza por uma diversidade musical dançante e imprevisível, proveniente da mistura de influências entre cada integrante. Com composições que passeiam entre o post-rock e o math-rock, o resultado é um disco carregado de batidas descompassadas e outros ritmos alternativos.

Gênero: Post-rock instrumental

Link: http://sinewave.com.br/2017/08/sick-para-uso-recreativo-2017/


Bárbara Eugênia e Tatá Aeroplano – Vida Ventureira

 

 

 

 

 

 

 

Vida Ventureiraálbum de parceiras inéditas, conta a história de um casal pé na estrada viajando pelo mundo. As 12 músicas surgiram inspiradas num roteiro de cinema, ideia proposta pela Bárbara, que convidou Tatá para compor em parceria com as histórias desse disco, que contou com as participações de Dustan Gallas, Junior Boca, Bruno Buarque, Clayton Martin e Lenis Rino.

Gênero: MPB

Link:  goo.gl/ALBynw


Circvlo – Beleza

 

 

 

 

 

 

 

Beleza é o segundo EP da Circvlo, banda de math-rock instrumental de Santos, SP. A banda apresenta duas faixas de seu instrumental com toques de post-rock numa pegada mais tropical e descontraída, um lado mais caloroso do quarteto santista, bem diferente do EP de estreia “Entrelapso” (2016, independente). Ouvindo os dois trabalhos em sequência, percebe-se a variação entre sonoridades ora densas e sombrias, ora festivas e leves, executadas em seus sets ao vivo.

Gênero: Math-rock instrumental

Link: http://sinewave.com.br/2017/09/circvlo-beleza-2017/


Borealis – Haçienda

 

 

 

 

 

 

 

O EP Haçienda é o novo trabalho do Borealis, projeto carioca de música eletrônica instrumental ruidosa tocado (e produzido, composto, mixado etc.) por Marco Antonio Barbosa. Como os trabalhos anteriores, o compacto foi produzido de forma “do-it-yourself”, usando apenas um laptop como estúdio e instrumento.

Gênero: Eletrônica

Link: https://borealis1.bandcamp.com/album/ha-ienda-ep


Dirimbó – Deixar Tu Loks

 

 

 

 

 

 

 

Deixar Tu Loks marca uma nova cara na identidade da banda Dirimbó, que busca aliar toda a sua sonoridade – mistura de ritmos latinos com o carimbó – a uma pegada mais urbana e recifense. As quatro dançantes faixas tema a produção de Marcus Iglesias. O compacto marca a estreia da nova formação do grupo, que agora atua como o quarteto Bruno Negromonte (bateria), Mário Zappa (baixo), Rafa Lira (vocais e guitarra) e Vítor Pequeno (guitarra).

Gênero: Latino

Link: https://soundcloud.com/dirimbo/sets/ep-deixar-tu-loks


SLSD – Olhos Abertos, Bocas Fechadas

 

 

 

 

 

 

 

SLSD, abreviação pra Sem Lenço Sem Documento, é uma banda de originária de Mafra, cidade de cinquenta mil habitantes no norte de Santa Catarina. Formada por jovens, que devem ter escutado muito “Alegria, Alegria” em casa, o grupo apresenta o seu primeiro disco com seis faixas embaladas por um pop melancólico oitentista.

Gênero: Dreampop

Link: https://slsd.bandcamp.com/album/olhos-abertos-bocas-fechadas


Ideias, etc – Estrelado

 

 

 

 

 

 

 

Estrelado é o quarto trabalho da Ideias, etc, praticamente uma one man band do jovem Evandro Depiante, nascido em Vitória no Espirito Santo, mas que atualmente reside em Pelotas – RS.  O disco conta com oito faixas (com + 2 de bônus no download) guiadas pelo pop e relatos sobre a solidão, alucinações e outras noias da cabeça do músico.

Gênero: Pop/ Lo-Fi/ Indie Rock

Link: https://ideiasetc.bandcamp.com/album/estrelado


TucA – O Vazio Pertence Ao Infinito

 

 

 

 

 

 

 

O inquieto multiartista Dellani Lima, ou simplesmente TucA, marca presença mais uma vez nesta lista. Depois de lançar Filhos Dourados do Soul, com a sua banda Madame Rrose Sélavy, o músico volta com o seu trabalho solo, intitulado O Vazio Pertence Ao Infinito. O disco de electrorock conta com 12 faixas e as participações de K Lacerda nas guitarras e Alex Pix no baixo.

Gênero:  Electrorock

Link: https://tucawebb.bandcamp.com/album/-


E U : M A Q U I N ADe Dentro Pra Fora

 

 

 

 

 

 

 


E U : M A Q U I N A
é o novo projeto  do produtor musical Gab Scatolin, que volta a fazer parte de uma banda depois de seis anos. Para marcar esse retorno, o grupo de pop punk, que conta ainda com André Mattera e Leon Martinez, lançou o álbum De Dentro Pra Fora. Gravado no Cabaret Studio e MUG Studio, o disco traz 10 canções, nove delas composta por Gab, exceto a faixa bônus.

 Gênero: Pop Punk

Link: https://eumaquina.bandcamp.com/album/de-dentro-pra-fora-cd-2017


Marcos Sandália & Meia – Teimoso, vaidoso e outros defeitos mais

 

 

 

 

 

 

 

Os dilemas dos relacionamentos contemporâneos serviram de inspiração para o novo disco de Marcos Sandália & Meia. Para embalar as histórias das 10 faixas o cantor apostou em baladas e grooves que remetem à atmosfera romântica dos anos 70, com traços de Jovem Guarda, Soul, Blues e Folk.

Gênero: Soul/Blues/Folk

Link: http://www.marcossandaliaemeia.com.br/


Mineiros da Lua – Turbulência

 

 

 

 

 

 

 

O álbum dos Mineiros da Lua, lançado pelo selo La Femme Qui Roule, é de poucas palavras, spoken words que quando usadas não são em vão, e segue permeado por um instrumentalismo rebelde, post-rock e psicodelismo. São cinco faixas que giram entorno da amizade, amores, impaciência e decisões, ode ao amadurecimento que acontece quando se sai da escola e encara pela primeira vez responsabilidades que soam como uma vida mais real.

Gênero: Post-Rock/ Psicodélico

Link: https://mineirosdalua.bandcamp.com/releases


Electric Lo-Fi Seresta – Interstellar Motel Radio

 

 

 

 

 

 

 

Concebido inicialmente como um projeto paralelo de Guilherme Almeida – vocalista e guitarrista da veterana banda indie carioca The John Candy – o Electric Lo-Fi Seresta traz em Interstellar Motel Radio algo que o título já insinua: oito canções variadas com um certo apelo pop e angustiado nas melodias, com texturas atmosféricas e harmonias etéreas que remetem a alguma estação de rádio AM imaginária, cuja frequência teria se perdido em interferências de alguma estação espacial alienígena.

Gênero: Dream Pop

Link: https://napnaprecords.bandcamp.com/album/interstellar-motel-radio


André Macambira – Amar é Azul

 

 

 

 

 

 

 

Após 12 anos de retorno à sua terra natal, o pernambucano André Macambira denota toda a pluralidade e maturidade musical adquiridas nesses anos de andanças por Brasil e Europa, num disco que reúne nove faixas, na sua maioria autoral, ora dançantes ora românticas. Incluindo uma versão da canção “De uns tempos pra cá”, de Chico César.

Gênero: MPB

Link: https://www.andremacambira.com.br/amar-e-azul


Lado Alado – Sobre Nós

 

 

 

 

 

 

 

De uma reunião de sete artistas de diferentes gerações e cidades no estado do Rio de Janeiro surgiu a banda Lado Alado. Em 2017 o grupo resolveu lançar não só um disco, mais cinco, Entre Nós é um deles, e todos eles estão disponíveis para download gratuito. Fundamentalmente acústicos, os álbuns são voltados a diversos estilos musicais como o samba, a bossa, rock, blues, entre outros.

Gênero: MPB

Link: http://bit.ly/LadoAlado_SobreNós


Weird Fingers – Ciclos

 

 

 

 

 

 

 

Em Ciclos, Raad Ferreira nome por trás do Weird Fingers, fala sobre seu cotidiano, suas nóias de ser tão novo, ele tem apenas 15 anos, mas já experimentar um monte de problemas de adulto. Gravado totalmente em sua casa no esquema mais DIY possível, o álbum, lançado pelo selo Nap Nap Records, tem 11 faixas.

Gênero: Folk/ Pop/ Experimental/ Lo-Fi

Link: https://napnaprecords.bandcamp.com/album/ciclos


Flavio Tris – Sol Velho Lua Nova

 

 

 

 

 

 

 

Sol Velho Lua Nova, distribuído pelo selo Circus, é o segundo trabalho da carreira do cantor e compositor paulista, Flávio Tris. O disco, que conta com as colaborações de Luiz Gabriel Lopes e Cesar Lacerda, traz nove faixas autorais e representa a guinada do autor a um universo sonoro mais uniforme, de aspecto minimalista e contemplativo, ao contrário da atmosfera multifacetada de seu disco homônimo de estreia (2013).

Gênero: MPB

Link: http://flaviotris.com/


Tertuliê – Tertuliê

 

 

 

 

 

 

 

Gravado e coproduzido pelo músico carioca Hugo Noguchi (Ventre, Posada e o Clã, SLVDR), o EP homônimo da jovem banda potiguar traz quatro músicas autorais que abordam, cada uma à sua maneira, vivências, pensamentos íntimos e observações sociais sobre bases densas e camadas sonoras. Lançado pelo selo Nightbird Records, o compacto estreou com exclusividade no Som do Som.

Gênero: Experimental

Link: https://nightbirdrecords.bandcamp.com/album/tertuli-ep


Mexo – Zona

 

 

 

 

 

 

 

Zona é o segundo trabalho do produtor musical e diretor de arte da Paraíba Mexo. Como o título propõe, o som do EP é bem caótico e agressivo misturado com sons sublimes e cristalinos, vibes bem aéreas e aquáticas, assim como as obras visuais que acompanham o material.

Gênero:

Link: https://mexo.bandcamp.com/album/zona


Loomer – Deserter

 

 

 

 

 

 

 

“Deserter é o segundo álbum dos gaúchos da Loomer, quarto registro contando os eps Mind Drops (2009) e Coward Soul (2010). Todos lançados pela parceria Sinewave e Midsummer Madness, forjadas no do it yourself punk. Todos ardidos, de guitarras abrasivas, clima de festa adolescente dos anos 90, daquelas que poucas coisas sobrevivem”.

Gênero: Shoegaze

Link: https://midsummermadness.bandcamp.com/album/deserter


Os Ex-Fumantes – Brazilian Max

 

 

 

 

 

 

 

A banda de nome um tanto peculiar, Os Ex-Fumantes faz a sua estreia com o EP Brazilian Max, lançado pelo selo Crooked Tree Records. Como o formato propõe, o trabalho é compacto com apenas cinco faixas, que se dividem em duas em português e duas em inglês, além da primeira que serve de introdução.  Um som que soa meio despretensioso, mas que tem uma sonoridade bem definida tendo como referências The Strokes, The Libertines e Mac Demarco.

Gênero: Rock

Link: https://crookedtreerecords.bandcamp.com/album/brazilian-max


Frederico – Resistente

 

 

 

 

 

 

 

O mineiro de Uberlândia Frederico resolveu apresentar o seu primeiro trabalho alinhando a música a parte visual. Tal qual Beyoncé, cada canção vem acompanhada de um vídeo que conversam entre si. O EP traz quatro faixas compostas pelo próprio cantor que misturam a nova MPB a elementos eletrônicos. Um som que agrada quem curte o som do Silva.

Gênero: Pop

Link: http://www.eusoufrederico.com.br/


Gato Feio – Gato Feio

 

 

 

 

 

 

 

Mesclando influências que vão do punk ao rock psicodélico, o trabalho de estreia dos mineiros do Gato Feio traz cinco canções autorais que falam sobre liberdade na linguagem deles e tem a produção assinada pelo baixista e vocalista, Cahue Teixeira. Completam o trio Luiz Carlos Oliveira (guitarra e vocal) e Eduardo Drummond (bateria).

Gênero: Rock

Link: http://www.gatofeio.com/


Pirombeira – Pirombeira

 

 

 

 

 

 

 

Depois de três anos entre produção e gravação, o disco de estreia da banda Pirombeira foi lançado e veio como uma forma de celebrar os sete anos de atividades. O álbum homônimo faz um mix entre as raízes baianas do grupo, indo do baião ao ijexá, com o jazz, rock, entre outros gêneros musicais. Pirombeira é Aline Falcão (teclado, sanfona e voz), Gabriel Arruti (baixo), Ian Cardoso (guitarra e voz), João Paim (percussão), João Mendes (violão e voz), Rubão Nazario (bateria) e Yves Tanuri (teclados e flauta).

Gênero:

Link: http://bit.ly/Pirombeira


aqamental– microcont(sm)os

 

 

 

 

 

 

 

Produtor de música eletrônica desde 1999, o curitibano Bruno Real lançou no começo do segundo semestre o seu novo disco. São 25 minutos de pequenos contos musicais, onde mostra as suas referências ao longo dos anos, que vão de Chemical Brothers à Aphex Twin, passando por jazz, “future bass” e batidas quebradas.

Gênero:

Link:  https://brunoreal.bandcamp.com/album/microcont-sm-os


David Ballot – Talvez? Não Sei!

 

 

 

 

 

 

 

Cantor e compositor do interior de São Paulo, David Ballot lançou o seu primeiro disco de estúdio, intitulado Talvez? Não Sei. Com 12 faixas autorais que transitam entre o Folk e o Indie Rock, o trabalho traz a participação de Esteban Tavares nos vocais de “Hoje Nós”.

Gênero: Folk/ Indie Rock

Link: http://bit.ly/DavidBallot


Ziggy ama Tom – Ziggy ama Tom

 

 

 

 

 

 

 

A banda gaúcha Ziggy ama Tom, que tem seu nome inspirado em dois personagens das canções “Ziggy Stardust” e “Space Oddity” (Major Tom) do ícone Davi Bowie, lançou o seu primeiro EP homônimo. As três faixas que compõe o compacto revelam um caminho diferente do homenageado “Camaleão do Rock”. O grupo faz um som nervoso voltado para o punk e o pós-punk.

Gênero: Rock

Link: https://ziggyamatom.bandcamp.com/album/ziggy-ama-tom


Graxa – A Concorrência é Demais

 

 

 

 

 

 

 

A Concorrência é Demais é o terceiro disco do recifense Graxa. O álbum possui 13 faixas que narram a história do artista que após analisar o consumo musical/cultural volta pra sua terra ao perceber que o mundo externamente, fora do seu, não é/foi condizente com o esperado. A ideia segundo o próprio músico foi “fazer algo a uma ópera rock, tal como Village Green Preservation Society, do Kinks, ou Tommy do Who”.

Gênero:

Link:  https://graxa.bandcamp.com/


Supervão – TMJNT

 

 

 

 

 

 

 

“TMJNT é uma fuga em meio ao caos mental e social causado pelo momento político brasileiro. A partir de uma mistura de sons bastante heterogêneos, a banda produz em TMJNT uma sonoridade que tem sido chamada de technopunk, eletroindie, neo tropicália e vapor rave, gêneros que a Supervão compreende e se influência diretamente. Hoje, juntar diferenças e provocar encontros musicais, cada vez mais, pode ser compreendido como um ato revolucionário tendo em vista os processos de curadoria digital”.

Gênero:

Link: http://lezmarecords.com.br/#/supervao-tmjnt/


Edmar Silva – Blues

 

 

 

 

 

 

 

Edmar Silva desde 1999 vem tocando na cena paulistana de rock aonde fez parte de várias bandas, tocou do blues ao punk.  Agora vem se dedicando a carreira solo, fazendo um som voltado para o blues e a psicodelia. Não por acaso o nome do seu novo EP leva o nome do gênero que vem fazendo a sua cabeça.

Gênero: Blues

Link: https://edmarsilvamusic.bandcamp.com/album/b-l-u-e-s


The Sorry Shop – Softspoken

 

 

 

 

 

 

 

“Depois de quatro anos de hiato, saiu, finalmente, o terceiro disco completo da The Sorry Shop, intitulado Softspoken. Baseado em uma estética Dream Pop, mas flertando com os elementos mais icônicos do Shoegaze, o mais novo álbum da banda é um sopro leve e ruidoso. Com letras sempre introspectivas e com algo de melancólico na estética do som, a The Sorry Shop cria um disco de paisagens amenas e despretensiosas, convidando o ouvinte ao imaginativo labirinto de distorções, reverbs e delas”. O trabalho é um lançamento dos selos Lovely Noise Records e Crooked Tree Records.

Gênero: Dream Pop/ Shoegaze

Link: https://thesorryshop.bandcamp.com/album/softspoken


Samba barbarismo – Samba barbarismo

 

 

 

 

 

 

 

“Relatos fictícios e/ou pseudo-biográficos de um autor que persegue cotidianamente ruas, coletivos e singularidades históricas. Sambas de revide, contragolpes, grooves dançantes e frenéticos que reverenciam quem nunca se rendeu”. Desta forma que o idealizador do Samba Barbarismo, Michel de Moura (banda Nã, Acauã), define o trabalho da banda que lança o seu primeiro disco. O projeto conta ainda com Aline Mareá, Fernando Fidura, Fernando Saintive, Yuri Braga, Thiago Pereira, Thiago Babalu.

Gênero: Samba

Link:  https://sambabarbarismo.bandcamp.com/releases


Ozu – The DownBeat Sessions Vol.01

 

 

 

 

 

 

 

Criada em 2015, a banda OZU traz em suas músicas referências das obras do cineasta japonês Yasujiro Ozu, baseadas em um ritmo lento e climas contemplativos. Apesar do EP The DownBeat Sessions Vol.01, lançado pelo selo Mono.Tune Records, ser a estreia do grupo, a banda tem uma base experiente. Francisco Cabral, fundador da banda e tecladista é arranjador e compositor para cinema e teatro. Gustavo Santos atual guitarrista da OZU, fez parte da banda paulista Jennifer-Lo-Fi, o baterista Felipe Pagliato já foi ganhador da bienal brasileira de musica contemporânea e o DJ RTA já foi 3 vezes campeão brasileiro de scratch. A voz é da cantora Juliana Valle e o baixo fica por conta do João Amaral.

Gênero:

Link: http://bit.ly/Ozu_


Electric Light Pulp – I’m Not Here

 

 

 

 

 

 

 

Electric Light Pulp é o projeto musical do jovem gaúcho de apenas 20 anos, Tiago Felipin. No estilo “do it yourself” o músico compõe, toca os instrumentos, grava e mixa todo o seu material que conta com quatro EPs. I’m Not Here em setembro de 2017 pelo selo Lofi In High Records e conta com oito faixas instrumentais.

Gênero: Ambiente

Link:  http://bit.ly/ElectricLightPulp


Quasar – Coruja

 

 

 

 

 

 

 


“Quasar
, banda paulista formada por Caio Gonçalves, Felipe Meneses e Guilherme França, lança seu primeiro disco, Coruja, pela Banana Records e Pessoa que Voa. Todo escrito na madrugada, onde o medo e obsessão espreitam como animais noturnos, “Coruja” retrata a rotina, a cidade e relacionamentos dos quais precisamos fugir, querendo ou não. Psicodelia, distorções e muita influência do cenário musical atual marcam o estilo da banda, que vai do shoegaze em “Aurora” ao emo de “Desalento” com naturalidade. O trio tem como influência Bloc Party, Ventre e Adventures”.

Gênero: Shoegaze/Emo

Link: https://quasarquasar.bandcamp.com/releases


Théo – NÓS

 

 

 

 

 

 

 

NÓS é o segundo trabalho do cantor e compositor Théo. Produzido por Paulo Gianini, o novo álbum apresenta uma fusão de estilos que resulta numa vertente moderna da MPB. O disco conta com nove faixas compostas pelo próprio músico e que versam sobre as várias formas de nos relacionarmos.

Gênero: MPB

Link: http://bit.ly/ThéoNós


Eliminadorzinho – Aniquiladorzinho

 

 

 

 

 

 

 

Eliminadorzinho, banda paulista composta por Eliott Garcia, João Pedro Haddad e Tiago Schützer, retorna com seu segundo EP, aniquiladorzinho, lançado pela Pessoa que Voa e Transtorninho Records. Se nada mais restará. era sobre o fim de todas as coisas, “aniquiladorzinho” é o epílogo, um desfecho barulhento e carregado de capítulos imprevisíveis. Gravado quase todo ao vivo no Inhamestúdio por Rubens Adati, o EP marca uma mudança na sonoridade da banda, que se distancia do shoegaze indo em direção a um emo cru e ruidoso”.

Gênero: Emo

Link: http://bit.ly/Eliminadorzinho


Gentrificators – Apt Kids

 

 

 

 

 

 

 

Em seu novo álbum, Apt Kids, a Gentrificators de Porto Alegre percorre diferentes territórios urbanos de um Brasil que oscila entre a truculência e a vida, o muro e a tinta, o interior e o exterior, o fechamento e a abertura. Todas as 10 faixas do disco foram gravadas de forma caseira.

Gênero:

Link: http://lezmarecords.com.br/#/gentrificators-apt-kids/


Boats – Manifesto dos Sentimentos (In)compreensíveis

 

 

 

 

 

 

 

Financiado pelos fãs e admiradores da Boats através da plataforma de crowdfunding Catarse, o disco conta com 11 faixas compostas pelos próprios integrantes que exploram uma sonoridade mais melódica, acentuando a influência do indie rock  em letras sensíveis e poéticas.  Lançado pelo selo Nightbird Records, este é o primeiro álbum da banda de Pau dos Ferros, cidade do interior do Rio Grande do Norte.

Gênero: Indie Rock

Link: http://bit.ly/BoatsDisco


Lucas Nascimento – Cinza

 

 

 

 

 

 

 

Radicado no Rio de Janeiro, Lucas Marques faz a sua estreia discográfica em Cinza. Gravado e produzido pelo cantor, o álbum “traz momentos e memórias em uma ode à solidão”. As 12 faixas transitam entre o rock e o MPB embebidas de doses de melancolia.

Gênero: Rock/MPB

Link: https://luscasnascimento.wixsite.com/lucasmarques/cinza


Capona – Atom Heart Auto

 

 

 

 

 

 

 

“Atom Heart Auto são nove músicas que fragmentam a realidade aparente, denunciam os males da linguagem e que cantam através da guitarra elétrica (principal instrumento de contato do ser humano com civilizações extraterrestres) as linguagens universais: a matemática, a música e o inglês americano”. O disco dos alagoanos de Arapiraca é um lançamento dos selos Transtorninho Records e Toca do Lobo Records.

Gênero:

Link:  https://capona.bandcamp.com/album/atom-heart-auto


Álex Lazarini – A maldição cigana da escola pública

 

 

 

 

 

 

 

Viagem astral, suicídio, mentira, amor, e culto ao terror, são os temas que remetem  A maldição cigana da escola pública, um álbum de Rock/Horrorcore/Rap/Pisicodelia. Produzido, gravado, mixado e tudo mais pelo  próprio músico, , conhecido também por seu vulgo Nino Looko, o disco traz 23 faixas.

Gênero: Rock/Horrorcore/Rap/Pisicodelia

Link: https://www.4shared.com/s/fG70-FG7Pei


Miêta – Dive

 

 

 

 

 

 

 

Um dos novos destaques da cena independente nacional, a banda mineira Miêta apresenta o seu primeiro disco, Dive, lançado pelos selos PWR Records (Recife) e Howlin’ Records (São Paulo). Cheio de atitude e alinhado a questões feministas, o grupo tem um repertório composto por músicas autorais de rock alternativo, com influências de dream pop, shoegaze e indie.

Gênero: Rock alternativo

Link: https://mietabh.bandcamp.com/


Marchioretto – Boas Pessoas São Feitas de Promessas Incompletas 

 

 

 

 

 

 

 

Um dos melhores títulos de disco do ano, Boas Pessoas São Feitas de Promessas Incompletas é o terceiro álbum de Marchioretto, compositor multi-instrumentista de Pirituba/SP. Lançado pela Pessoa que Voa e produzido por Theuzitz, o novo trabalho do paulista de Pirituba passeia do emo de “Bailarina” ao slowcore de “Nuvem”, inspirado por Title Fight, Eliminadorzinho e Mac DeMarco.

Gênero:

Link: http://bit.ly/Marchioretto


Alex Sant’Anna – Insônia

 

 

 

 

 

 

 

Menos de dois anos após o lançamento do disco Enquanto Espera, Alex Sant’Anna apresenta o EP Insônia. Com três faixas compostas pelo cantor sergipano, o compacto carrega certa melancolia e angustia cortadas por melodias inquietas indo do Pop ao Rock. Todas as canções contam com participações de vozes femininas Diane Velôso (“Insônia”), Nicole Donato (“Fudeu”) e Anne Carol (“Tudo”).

Gênero:

Link: http://www.alexsantanna.com.br/#info


Projeto D – Somos Instantes

 

 

 

 

 

 

 

O cantor e compositor Raphael Mancini, na alcunha de Projeto D, lançou no primeiro semestre do seu novo trabalho, Somos Instantes. Apostando no pop rock, o disco contou com a participação dos músicos Felipe Menhem, Cauê Abrão e Cássio Bittencourt em duas faixas, além das composições de Diego Mancini, da banda mineira Lobos de Calla.

Gênero: Pop Rock

Link: https://projetod.bandcamp.com/


Flâneur – Frenesi

 

 

 

 

 

 

 

Frenesi é um mergulho no universo urbano montado pelo ferro do Flâneur – ou Errante, na língua de Baudelaire. A sordidez das ruas rimam com a corrupção do próprio corpo lírico do sujeito que canta. Nesse percurso pela cidade, pelos Leões de Pedra do centro de Fortaleza, o vagabundo antes do que a abraçar, a recusa, lançando mão de um jogo em que culpa, tédio, queda e impossibilidade de redenção motivam cada frequência sonora. Emborcando o Simbolismo Francês feito garrafa de cana e misturando-o a uma longa lista de influências musicais (de Fiona Apple a Ellioy Smith, passando por Rodrigo Amarante e Cat Power, além de seus conterrâneos e amigos de banda), o Flâneur soube, como o Poeta Maldito, cavar Beleza no Mal. Esse EP é a mostra de que a arte pode ser levada a sério, mesmo com todas as adversidades do contexto canalha”.

Gênero: lo-fy

Link: http://bit.ly/Flâneur_Frenesi


Hellbenders – Hellbenders ao vivo no Festival Dosol Assu 2016

 

 

 

 

 

 

 

O quarteto goiano Hellbenders foi uma das atrações do Festival DoSol do ano passado. A passagem da banda pela cidade de Assu, interior do estado do Rio Grande do Norte, uma das sedes do evento foi registrada ao vivo pelo selo DoSol e lançada em forma de EP.

Gênero: Punk/ Stoner/ Hard Rock

Link: http://bit.ly/HellbendersAoVivo


República Popular – Curió

 

 

 

 

 

 

 

“A banda República Popular traz em seu DNA o compromisso com a brasilidade e o regionalismo amazônico na música, e nessa nova fase ela busca a construção de uma ponte entre os ritmos de vanguarda e as tendências da contemporaneidade. As inspirações para este trabalho vão de Caetano a Bon Iver, passando por nomes como Milton Nascimento e Tame Impala”. O EP conta com três faixas, mas já da para ter uma noção do que o grupo prepara para o seu álbum duplo que terá 24 faixas.

Gênero:

Link: https://republicapopular.bandcamp.com/album/curi


Orquestra Greiosa – Toda Cor, Toda Massa

 

 

 

 

 

 

 

Revelação do Carnaval Potiguar de 2017 (sim, existe Carnaval em Natal), o Grêmio Etílico Carnavalesco  Orquestra Greiosa é formada pelos músicos Gabriel e Paulo Souto da banda DuSouto, Anderson Foca da Camarones Orquestra Guitarrística, Simona Talma do Talma e Gadelha, Ângela Castro e Kleber Moreira da banda Rosa de Pedra e Silvio Franco do Alphorria. Só por esse time já da pra ter noção da qualidade do grupo, que de fato tem e pode ser comprovado no disco Toda Cor, Toda Massa. Produzido por Chico Correira (Cabruêra e BaianaSystem), o álbum faz um mix de ritmos, transitando pelo tecnobrega, axé, pop, african beats, entre outros.

Gênero:

Link: http://bit.ly/OrquestraGreiosa


Chapa Mamba – Presente

 

 

 

 

 

 

 

Lançado pela Chupa Manga Records, Presente é o quinto álbum da banda carioca Chapa Mamba. O novo trabalho – primeiro com a formação em trio, Stêvz, Bruno e Binho – foi gravado entre o Rio e Porto Alegre. Com oito faixas, o disco mantém a linha lo-fi, com umas pitadas de rock e tropicália.

Gênero: lo-fi

Link: https://chapamamba.bandcamp.com/album/presente


Luiz Amaro – Escuro

 

 

 

 

 

 

 

“O EP Escuro pertence ao gênero MBIMTMB – Música Brasileira Independente Meio Triste e Meio Brisa. É um conjunto de músicas feitas sobre coisas que Luiz Amaro escreveu já faz um bom tempo – principalmente impressões sobre o final da adolescência e observações da vida urbana. O compacto foi gravado, produzido, mixado, masterizado pelo próprio músico. É independente e lo-fi”.

Gênero: lo-fi

Link: https://luizamaro.bandcamp.com/album/escuro


Talma&Gadelha – Acústico Música no Jardim

 

 

 

 

 

 

 

Um dos nomes fortes da cena potiguar,  Talma&Gadelha participou do projeto Música no Jardim do selo DoSol e teve o registro lançado em formato de um EP no final de junho.  O compacto gravado ao vivo e acústico conta com quatro faixas que já pertencem ao seu repertório.

Gênero: Pop

Link:  http://bit.ly/TalmaeGadelhaAcústico


Zéis – De Preto em Blue

 

 

 

 

 

 

 


Zéis
é cantor e compositor cearense formado em música pela Universidade Federal do Ceará. Têm dois Cds lançados junto à banda Capotes Pretos na Terra Marfim, o EP A Casa (2013) e o álbum Capotes Pretos na Terra Marfim (2015). Se aventurando em carreira solo, o artista, que também é ator, preparador vocal e sonoplasta, apresenta o álbum De preto em blue. Lançado pelo selo Mocker Discos, o trabalho abraça diversos ritmos, desde o rock, passando pela MPB, maracatu, entre outros.

Gênero:

Link:  https://mockerdiscos.bandcamp.com/album/de-preto-em-blue-2


The Cigarettes – The Lights

 

 

 

 

 

 

 

“The Lights é o enésimo EP na extensa discografia do The Cigarettes. Lançado pela Pug Records, o compacto funciona como um “best of” das gravações mais recentes desta one-man-band que hoje reside na pequena Itaperuna, no noroeste fluminense. Condensando diferentes influências em uma mesma vibe, o EP traz incursões acústicas, baterias primitivas, beats eletrônicos, solos intermináveis, timbres estourados e atmosferas glaciais que remetem a nomes como Neil Young, Beat Happening, Radio Dept., J Mascis, Neutral Milk Hotel e Slowdive, necessariamente nesta ordem”.

Gênero:

Link: https://pugrecords.bandcamp.com/album/the-lights-ep


Tai Veroto – Antes que tentem nos iludir

 

 

 

 

 

 

 

O cantor, compositor e ator Tai Veroto faz a sua estreia com o lançamento do EP Antes que tentem nos iludir. Produzido por Anselmo Mancini, o compacto mostra em quatro faixas autorais a alma roqueira do músico, incorporando a sonoridade variações do gênero. Nessa jornada Tai teve a companhia de Rafael Borges Amaral (guitarra), Júnior Azevedo (baixo) e Leonardo Marques (bateria).

Gênero: Rock

Link: https://taiveroto.bandcamp.com/releases


Zero Zero – Taxidermia

 

 

 

 

 

 

 

Formado no Espírito Santo em 2009, o Zero Zero faz um “hardcore rápido, gritado e meio torto influenciado por bandas punk americanas do início dos anos 80”. Cinco anos depois de lançar o seu primeiro disco Back to Basics, o grupo soltou na web o seu novo trabalho Taxidermia, que tem 16 faixas e a produção assinada por Alexandre Capilé (AOK, Sugar Kane, Duffs, Square, Water Rats).

Gênero: Hardcore/Punk

Link: https://zerozero.bandcamp.com/album/taxidermia


Silibrina – O Raio

 

 

 

 

 

 

 

“Com influências de jazz e pop e de ritmos musicais brasileiros como frevo, maracatu e baião, a Banda brasileira Silibrina lançou seu primeiro álbum O Raio esse ano. Piano, baixo, guitarra e metais se juntam a instrumentos de percussão muito presentes na música popular do Brasil, como o caracaxá, ganzá, timbal, alfaia, gonguê e o pandeiro. O resultado leva o público a uma nova leitura das possibilidades musicais brasileiras de uma forma elegante e ao mesmo tempo eletrizante”.

Gênero: Instrumental

Link: https://silibrina.bandcamp.com/album/o-raio


Ménage – Terra

 

 

 

 

 

 

 

Criada em Belo Horizonte no ano de 2009, a Ménage começou como um trio Bil, Cido e Pretinha, mas com o passar dos anos a banda foi agregando mais instrumentistas, ate chegar na atual formação. Com suas canções – que trazem influências da Tropicália, rock, jazz, dub e ritmos afro-brasileiros – a banda provoca uma troca de energia e movimentos involuntários com o suingue e a malemolência da sonoridade. Terra é o segundo disco dos mineiros, que em 2015 lançaram Gram de La Musique.

Gênero:

Link: https://menage.bandcamp.com/album/terra


Luli – Deserto

 

 

 

 

 

 

 

Por muitos anos Luísa atuou nos bastidores de shows, festivais e direções de videoclipes, e, para se lançar de fato à sua carreia artística, se autonomeou LULI. A multiartista lançou o seu primeiro trabalho, o EP Deserto. Produzido pelos músicos e produtores Nobat e Leonardo Marques, o álbum é composto por quatro faixas, todas de autoria da cantautora e as canções do disco possuem um ar melancólico. A mineira falou sobre todo processo em entrevista ao Som do Som.

Gênero: MPB

Link: http://bit.ly/Luli_Deserto


Mante – Alba

 

 

 

 

 

 

 

“Alba já foi um livro, já tentou inventar uma língua sem precisar, tem muitas pausas de exatamente um tempo (como tropeço), som de maquinário burocrático, dança e axé, o som dum futuro que é frio, mas fala de agora também. antes era só viagem, ver brasil no colorido do syd mead e desejar ele mais sujo, pensar um sci-fi em são paulo de futuro longínquo e caminho quase lógico. é um tanto pessimista (narrativas previsíveis do nosso esquema) mas ainda tem calor e respiro, nascidos da potência de voltar pra casa depois de um verão gelado”.

Gênero: Experimental

Link:  http://bit.ly/Mante_Alba


Açúcar Mascavo – Açúcar Mascavo

 

 

 

 

 

 

 

Como pouco mais de um ano de um ano, a banda de Niterói Açúcar Mascavo apresenta o seu primeiro trabalho, o EP homônimo. Produzido de forma totalmente independente, o compacto conta com cinco faixas autorais que experimentam vários ritmos desde o baião ao progressivo. O grupo é formado por João Pedro Damian (Vocal e Guitarra), Rodrigo Quintanilha (Guitarra), Vinícius Pitanga (Bateria) e João Pedro “Grego” Rodrigues (Baixo).

Gênero: Rock

Link: http://bit.ly/EPAçúcarMascavo


Das Neves – Paraíso

 

 

 

 

 

 

 

“O artista Gabriel Neves lança pela primeira vez seu trabalho como compositor, o projeto Das Neves. O disco de estreia como Das Neves se chama Paraíso e mescla inúmeras influências, passando por Rock alternativo a MPB, de música nordestina a indie-rock. Paraíso, de Das Neves, é para todo tipo de público pela sua diversidade de estilos musicais e pelas letras com as quais nos identificamos”.

Gênero: MPB/Rock

Link: https://dasneves.bandcamp.com/album/para-so


Drápula – Volume 2

 

 

 

 

 

 

 

“Se você curte um som lo-fi chiclete, pop oitentista, rock BR anos 60, Drápula é para você”. É desta forma que a banda de Niterói apresenta a sua música, que pode ser conferida em dois EPs lançados neste ano, o Volume 1 e o Volume 2. O mais recente traz seis faixas com letras descontraídas e títulos igualmente como a instrumental “A Camisa da Minha Banda Favorita Tá Sempre Suja”. O tracklist traz ainda dois remixes de canções presentes no Vol.1. Destaque para “Maquina de Mistérios”. Drápula é Pinx, Buggy, Donuts e Scorpion

Gênero:  Indie Pop/ Lo-fi/ Rock

Link: https://drapula.bandcamp.com/album/volume-2


Guga Bruno – Penteado

 

 

 

 

 

 

 

Envolvido em diversos projetos paralelos, o carioca Guga Bruno lançou esse ano o seu terceiro álbum solo. O sucessor de Ínterim (2014), Penteado apresenta 10 faixas autorais e traz a participação especial de Zeca Baleiro. Entre músicas inéditas estão regravações como “Canção-despedia” e “Fade Out”, ambas do disco Nanogravura Popular Brasileira (2009) e “Lagarto” do disco Ninguém aqui é pai de Zeus (2002) do grupo Chinelo de couro cru & Os cruzados de canhota.

Gênero:

Link: https://musicaartesanal.com.br/gugabruno/2017/04/03/penteado/


Meu Nome Não é Portugas – Sob Custódia da Distância

 

 

 

 

 

 

 

Depois de lançar um EP no começo do ano, que também está aqui na lista, Meu Nome Não é Portugas volta com um disco completo, intitulado Sob Custódia da Distância. O novo trabalho, que saiu pelo selo Cavaca Records, traz 10 faixas construídas em uma atmosfera melancólica.  Meu Nome Não é Portugas é um projeto experimental de Rubens Adati – que também atua como guitarrista e vocalista na banda Vladvostock, toca guitarra no projeto solo de Ale Sater (baixista e vocalista da banda Terno Rei) e também é guitarrista do músico Giovani Cidreira.

Gênero: Experimental/Rock

Link: http://bit.ly/SobCustódiaDaDistância


Fernando Motta – Desde que o Mundo é Cego

 

 

 

 

 

 

 

“Das noites no meu quarto. dos momentos em claro ou dos instantes antes de dormir, da lucidez ou das ideias que saem da espécie de delírio que passeia entre as fases do sono. de ler no computador ou de acordar com uma percepção tardia, mas urgente o bastante pra nos fazer levantar. da condição e de qualquer conclusão. desde que seja, desde o que é. da fuga, das lembranças, do enfrentamento”.

Gênero: Lo-fi

Link: http://bit.ly/FernandoMotta


Tertúlia na Lua – Pensamentos Instantâneos

 

 

 

 

 

 

 

Lançado pelo selo baiano NHL Music, Pensamentos Instantâneos é o segundo EP da banda brasiliense Tertúlia na Lua. Como no primeiro trabalho, O eu além de mim, esse disco foi mixado e masterizado por Gustavo Halfeld e gravado na sala Fumarte, Local que vem movimentando a cena do Distrito Federal e lançando trabalhos de artistas locais como: Almirante Shiva, Supervibe, Vintage Vantage, Rios Voadores e Joe Silhueta.

Gênero: Rock/ Psicodélico

Link: https://nhlmsc.bandcamp.com/album/pensamentos-instant-neos


Amandinho – Ocultismo Oldschool

 

 

 

 

 

 

 

“Ocultismo Oldschool é o segundo álbum da banda de rock jovem Amandinho. Integrantes do movimento punk viagem, um conjunto de novas bandas desafiando os limites da estética punk rock trazendo influências de rock progressivo, heavy metal, emo, hardcore e shoegaze em canções energéticas cantadas em português”.

Gênero: Rock Progressivo/ Metal/ Emo/Hardcore

Link: https://transtorninhorecords.bandcamp.com/album/ocultismo-oldschool


Soundlights – Sons Que Vêm do Sítio

 

 

 

 

 

 

 

 

“…Soundlights lança seu primeiro EP, Sons que vêm do Sítio, com composições concebidas do interior de Canela ao Sul do Alasca. Buscando a unificação da música com os meios de criação análogos à Natureza, Soundlights retorna utilizando harmonias recorrentes nos ventos e elementos naturais em meio a vozes ritmicamente descompassadas e sintetizadores competindo espaço na cognição de quem escuta…”

Gênero:

Link: http://lezmarecords.com.br/#/soundlights-ep-sons-que-vem-do-sitio/


 LuvBugs – Dias Em Lo-Fi

 

 

 

 

 

 

 

Banda carioca formada por Paloma Vasconcellos (bateria) e Rodrigo Pastore (guitarra e voz). LuvBugs lança o seu segundo disco cheio, Dias Em Lo-Fi, pelo próprio selo Violeta Discos.  O sucessor do ótimo Enxaqueca (2015) conta com 11 faixas e tem a produção assinada por Pastore.

Gênero: Lo-Fi/ Indie

Link: https://luvbugs.bandcamp.com/


Diego Xavier – DX3

 

 

 

 

 

 

12

“O disco marca a chegada de Diego Xavier, voz e guitarra, no mundo das composições solo, tocadas e aperfeiçoadas por Ricardo Garofallo, baixo e voz, e Rodrigo Leal, bateria. Sem o luxo de um espaço ou mesmo de um fuso horário comum, DX3 reinventa a sinceridade de pegar uma guitarra com distorção e falar dos problemas da vida”.

Gênero:  Indie/Rock/Alternativo/Lo-Fi

Link:  https://transtorninhorecords.bandcamp.com/album/dx3


Sentidor – Terracorponuvem

 

 

 

 

 

 

 

Terracorponuvem é uma obra que deságua pra além da música. É experimentação e mergulho em raízes, e é o processo ritual da conjuração mágica de um organismo vivo, um monstro impossível e ainda assim tão real, feito de floresta, fumaça, concreto, sangue, terra, corpo e nuvem. O quarto LP de Sentidor se arrisca nos modos de um oráculo abstrato que anuncia os já chegados tempos de uma bruxaria digital, das cyberflorestas e dos vírus sagrados. Um amuleto balança ao vento, junto às palmeiras na rua. Um carro de som toca um funk alto que ecoa pela noite, as janelas e o chão de madeira tremem como num terremoto; é madrugada e a pequena tela do computador, lento, é como um fantasma no meio da escuridão”.

Gênero:

Link: https://sentidor.bandcamp.com/album/terracorponuvem


Aräyuí – Cerca Trova

 

 

 

 

 

 

 

Aräyuí é um projeto solo e inteiramente “Make yourself” feito para aliviar a tristeza e misantropia de ouvidos exigentes e cansados da melancolia do século XXI. Todas as letras foram baseadas em histórias vividas ou absorvidas durante conversas com amigos e parentes.

Gênero: Indie/Lo-Fi/Rock

Link:  http://bit.ly/Aräyuí_CercaTrova


Pobre Tom – Existe Gente Feia

 

 

 

 

 

 

 

Pobre Tom é o codinome do personagem Edgar da obra-prima Rei Lear de William Shakespeare. Edgar utiliza esse nome quando se finge de mendigo para fugir do mal que assombra seu próprio reino e, no caminho, acaba ajudando dois reis a recuperarem suas vidas. Do mesmo modo, procuramos nos fingir de quem não somos e contar histórias que possivelmente não participamos em prol de ajudar as pessoas a recuperarem vida.A humanidade têm dificuldade em reconhecer a maldade em si própria e vive de acusações… mas quem realmente é mau? Quem é o feio? Porque ele é feio? Existe gente feia? Não queremos lançar um álbum somente, mas uma obra. Assim como Rei Lear, que traz pensamentos e ensinamentos diversos, mas em sua totalidade, busca possibilitar que as pessoas entendam a vida e recuperem a fé em algo que é realmente bom”.

Gênero:  Rock/Indie/Pop/MPB/Folk

Link: https://opobretom.bandcamp.com/album/existe-gente-feia


Bjack – Último Disco

 

 

 

 

 

 

 

“Após 18 anos de lutas e conquistas, a Bjack decide encerrar sua carreira lançando seu quarto e último disco. São 14 faixas, mesclando Hard Rock, Pop, Indie & Stoner Rock. Um disco de fácil assimilação, mas gravado com vontade, dedicação, como um legado, uma despedida. Sincero, porque não, afinal foram quase três anos de produção. Feito para se ouvir em volume alto. Por favor, faça isso, será uma boa experiência”.

Gênero: Hard Rock/ Pop/Indie/ Stoner Rock

Link: http://www.bjack.com.br/


Criolo – Espiral de Ilusão

 

 

 

 

 

 

 

Depois de relançar o seu primeiro disco no ano passado, o rapper Criolo mergulha no samba em seu novo trabalho. Pode ser surpresa para alguns, mas quem acompanha o músico a incursão pelo gênero não é nenhuma novidade. Em Convoque Seu Buda (2014) ele já mostrou a sua afinidade com o ritmo ao gravar “Fermento Pra Massa”. O que era flerte, em Espiral de Ilusão se transformou em um casamento, que tem tudo para render. Com dez canções o álbum faz uma ode ao samba, com melodias leves que remetem a sambas antigos, porém com os textos de Criolo.

Gênero: Samba

Link: http://www.criolo.net/espiral/


Curumin – Boca

 

 

 

 

 

 

 

Corre a boca pequena que o novo trabalho do Curumin é um dos melhores lançamentos de 2017, e é verdade! Com um desenho sonoro pulsante que transforma cada canção em algo único, o cantor revela a sua criatividade quanto multi-instrumentista e compositor. Boca (Natura Musical) traz as participações de Anelis Assumpção, Russo Passapusso (BaianaSystem), Rico Dalasam e a rapper espanhola Indee Styla.

Gênero: Pop

Link: http://curumin.art.br/


Qinho – Fullgás

 

 

 

 

 

 

 

Mais do mesmo é algo que não se aplica ao Qinho. Inquieto e criativo, o cantor, compositor e produtor se reinventa a cada trabalho. Foi assim quando deixou de ser banda para seguir solo e lançou Canduras (2010), depois com O Tempo Soa (2012) e Ímpar (2015). A insatisfação em ficar numa zona de conforto fez o músico explorar novos sons com o projeto T.R.U.E, que serviu de base para o seu novo lançamento o EP Fullgás em homenagem a Marina Lima. Como não podia ser diferente, apesar do compacto ser de músicas conhecidas do repertório da cantora e do grande público, Qinho fez questão de imprimir a sua marca e se “apropriar” das canções. (Para baixar é só clicar nos três pontinhos em cada faixa).

Gênero: Pop

Link: http://bit.ly/Fullgas


Mombojó & Laetitia Sadier – Summer Long

 

 

 

 

 

 

 

Três anos sem gravar algo novo, o Mombojó surpreende com um EP em parceria com a cantora francesa Laetitia Sadier, vocalista da banda Stereolab. Summer Long (Joinha Records) traz quatro faixas compostas em parceria e traz Laetitia nos vocais cantando em francês e inglês. Som diferente do que se acostumou ouvir dos pernambucanos, mas com a qualidade de sempre.

Gênero:

Link:  https://www.summerlongsongs.com/


Luiza Lian – Oya Tempo

 

 

 

 

 

 

 

Conceitual, Oyá Tempo (Risco) foi concebido a partir das composições/cânticos umbandísticos da cantora. Produzido pelo baterista Charles Tixier (Charlie e os Marretas/Holger), o novo disco é um experimento áudio visual por diversos caminhos estéticos e sonoros, passando pelo hip hop, MPB e o funk carioca.

Gênero:

Link: https://lianluiza.bandcamp.com/album/oya-tempo


Giovani Cidreira – Japanese Food

 

 

 

 

 

 

 

Dono de uma voz singular, Giovani Cidreira já chamava atenção desde o  tempo que esteve a frente da Velotroz. Três anos depois do fim da banda, o cantor soteropolitano faz a sua estreia solo com Japanese Food (Balaclava Records/Natura Musical). Com uma atmosfera nostálgica, o disco é marcado pela influência da MPB produzida nos anos 70 e do rock dos anos 80.

Gênero: MPB/ Pop/ Rock

Link: http://www.giovanicidreira.com.br/


Cianeto HC – Estilhaços

 

 

 

 

 

 

 

Pertencente ao coletivo Geração TrisTherezina, formado por novos músicos de Piuaí, que aos poucos vem construindo e abrindo espaços, Cianeto HC apresenta o EP Estilhaços. O lançamento é o segundo do quarteto formado por Heitor Matos (vocal), Pablo Vinícius (bateria), Valciãn Calixto (baixo) e Robervan Sousa (guitarra), que em 2016 estreou com Decair. O novo trabalho traz um som pesado e pegado.

Gênero: Hardcore

Link: https://cianetohc.bandcamp.com/album/estilha-os


Lício  – Lício 

 

 

 

 

 

 

 

Acompanhado apenas de seu violão, o niteroiense Lício mistura personagens e cenários próximos da sua memória, criando estórias únicas, fantásticas e surrealistas, pessoais e poéticas. Sem perder a atmosfera oceânica de Caymmi, presentes já no primeiro EP, o álbum Lício apresenta o compositor mais voltado à harmonia e melodia rítmica do samba. O disco conta com a participação especial da cantora Daíra Saboia nas faixas “Menina Fará” e “O Galo Inácio”.

Gênero: MPB/ Samba

Link: https://www.liciomusica.com/


Lutre – Apego

 

 

 

 

 

 

 

Com pouco tempo de carreira, Lutre mostra com o seu disco de estreia, Apego, o porquê Goiás é apontado com um estado de uma criatividade musical intensa. O álbum, produzido pela banda carioca Ventre, é marcado por suas composições que prezam por uma delicadeza sincera e uma crueza sonora repleta de elementos não lineares, experimentais.

Gênero: Rock

Link: http://bit.ly/Lutre_Apego


Clo and the Sounds – Clo and the Sounds

 

 

 

 

 

 

 

Uma banda de um homem só, Clo and the Sounds é um projeto do músico Dalton Nascimento.  O paulista faz a sua estreia na cena musical com o EP homônimo, que traz cinco faixas, todas em inglês. Produzido por Filipe Consolini, que também gravou as bases de Piano e synth, o compacto aposta no Rock com um inspiração no Noel Gallagher. Além de ser a voz do projeto, é o Dalton o responsável pela guitarra, violão e baixo, a bateria ficou a cargo de Gabriel Cruz.

Gênero: Rock

Link: http://bit.ly/CloAndTheSounds


Cora – Não Vai ter Cora

 

 

 

 

 

 

 

O EP de estreia da banda curitibana foi gravado em 2015, mas só agora foi  entregue ao público, com lançamento dos selos PWR e Honey Bomb Records. Com sonoridade que transita entre dream pop e rock alternativo com ares psicodélicos e etéreos, o EP narra uma época e todo um repertório de sentimentos e percepções que já passaram faz um tempo.  Fundada Kaíla Pelisser e Katherine Finn Zander, Cora mostra a força do rock feito pelas mulheres. Vai ter Cora sim!

Gênero: Dream pop/ Rock Alternativo

Link: http://bit.ly/NãoVaiTerCora


Vathlo – EP

 

 

 

 

 

 

 

Filipe Giraknob (guitarra e voz) e Kaue Ravaneda (sintetizador e sampler) resolveram somar o entrosamento e a bagagem adquiridos de quando tocavam juntos na banda Supercordas para dar vida ao Vathlo. Dessa união surgiu o primeiro trabalho experimental e sombrio, inspirado na musica eletroacústica pra compor um tipo de rock alternativo onde a identificação da canção dentro do ambiente sonoro seja uma parte secundária no processo de audição.

Gênero: Experimental

Link: https://sinewave1.bandcamp.com/album/ep


Fuss – Luzes

 

 

 

 

 

 

 

Em seu segundo EP os gaúchos de Canoas buscaram inspiração na Luz, que por mais que seja algo abstrato, traz uma serie de significados. É no conceito de abrir os caminhos frente aos desafios e manter os sonhos vivos que a Fuzz desenvolve suas canções, todas autorais. No novo trabalho o som ganha mais peso, com as guitarras mais intensas.

Gênero: Rock

Link: https://www.oficialfuss.com/


Depois da Tempestade – Multiverso

 

 

 

 

 

 

 

Multiverso marca uma nova fase da banda do litoral paulista Depois da Tempestade, alinhada a maturidade e busca por afirmação no cenário nacional.  Misturando sonoridade que une elementos do rock alternativo e o post hardcore, o álbum traz 11 canções e a produção assinada por André Freitas (Charlie Brown Jr., Bula, Urbana Legion, A Banca).

Gênero: Rock Alternativo/ Post Hardcore

Link: http://bit.ly/2nGzQp9


Dercy – Dercy

 

 

 

 

 

 

 

Dercy é um projeto de stoner instrumental que reúne integrantes de diversas bandas do subterrâneo paulista: Bloodbuzz, Combover, Orange Disaster, Danger City, Japanese Bondage, Hangovers, Dolphins On Drugs, Sheila Cretina, Cãimbra, e outras. As quatro faixas do EP traduzem nos seus títulos e na pegada o tom divertido dos integrantes ao fazer trocadilhos infames com nomes de celebridades como Eva Vilma, Ana Maria Braga, Dercy Gonçalves e Martinho da Vila.

Gênero: Stoner Instrumental

Link: http://bit.ly/DercyEP


Irmãos Carlos – Irmãos Carlos

 

 

 

 

 

 

 

Conhecido pela atuação no cenário musical baiano como produtor, compositor e cantor, Irmãos Carlos estreia em carreira solo. O disco homônimo passeia por diferentes gêneros, começando pela black music, marcada pelos metais,  grooves e uma atmosfera nostálgica, na primeira metade, até cair no blues e fechar com a música eletrônica. Se a melodia traz influencias dos anos 70 e 80, as letras falam de sua própria vivência: do cotidiano ao existencialismo. Grandes nomes da música baiana estão em seu primeiro álbum, como IFÁ Afrobeat,Eric Assmar, Alexandre Tosto (Scambo), Enio e Juninho Costa (Junix).

Gênero: Black Music/ Blues/ Música Eletrônica

Link: http://bit.ly/IrmãosCarlos


The Tape Disaster – Oh! Myelin

 

 

 

 

 

 

 

Primeiro álbum full do The Tape DisasterOh! Myelin possui oito faixas em um resgate do instrumental visceral, construído dos tempos de fúria do punk rock e mesclado a suavidade e experimentalismos da noção do que hoje conhecemos como post-rock, sem amarras estruturais, ondulando entre as suas composições.

Gênero: Post-rock/ Math-rock/ Instrumental

Link: https://sinewave1.bandcamp.com/album/oh-myelin


Achiles – Divino e Ateu

 

 

 

 

 

 

 

 

Baiano, natural de Maracás, Achiles é um cantor e compositor de música popular. Depois de comandar os vocais de algumas bandas – com destaque para a CAIM, que lhe rendeu indicação à categoria de Melhor Intérprete Vocal, do Prêmio Caymmi de Música, em 2015 – o artista se aventura em carreira solo com o EP Divino e Ateu. Com seis faixas, o disco mescla o uso de programações eletrônicas e simula versões contemporâneas da estética pop-disco-glam.

Gênero: Pop

Link: http://coletivosuicabahiana.com.br/achiles/


Gael Conhece o Mar – Casca de Nós

 

 

 

 

 

 

 

“Som da cidade, paz litorânea. O mar, mesmo agitado, também é plenitude”. Casca de Nós é o primeiro registro do novo nome da música paraense, Gael Conhece o Mar. Formado por Sabá Netto, Allan Souza, Filipe Alencar e Samir Barroso, o grupo apresenta em duas faixas a sua linha de trabalho, baseada em uma sonoridade que mistura o rock com o folk, com toques de pop.

Gênero: Rock/Folk

Link: https://gaelconheceomar.bandcamp.com/album/casca-de-n-s


Futuro – A Torre da Derrota

 

 

 

 

 

 

 

A Terra da Derrota é o novo disco da banda paulistana Futuro, formada por Mila, Pedro, Bá e Xopô. Apostando na trinca punk/ hardcore e garage, o grupo solta a mão e o verbo esbravejando contra o sistema e a misoginia em letras em português e inglês.

Gênero:

Link: https://futuro.bandcamp.com/album/a-torre-da-derrota


Céu de Vênus – Instrospectro

 

 

 

 

 

 

 

 

EP de estreia do Céu de Vênus, quarteto de Curitiba formado por quatro estudantes universitários de música. Introspectro conta com cinco faixas instrumentais seguindo influências de post-rock e math-rock.

Gênero: Post Rock

Link: http://bit.ly/Introspecto


Acauã – Salve Paim

 

 

 

 

 

 

 

 

Salve Paim é o primeiro EP com banda gravado pelo artista Acauã. Neste registro, o rapper teve a companhia dos músicos Fidura, Michel de Moura, Thiago Moleque, Fernando Sousa, Rodrigo Dário e Thiago Babalu. Gravado em setembro do ano passado, essa formação trouxe arranjos mais orgânicos e deu peso para as músicas que tem como foco a lendas, os índios e os ancestrais.

Gênero: Rap/ Hip hop

Link: https://acauarap.bandcamp.com/releases


David Beat – Experimental Pop

 

 

 

 

 

 

 

O novo trabalho do Ilustrador e músico de Duque de Caxias, David Beat, faz jus ao título, Experimental Pop. Produzido por ele mesmo, o EP traz seis canções em português e inglês que falam de sentimentos bem comuns a vida moderna como solidão, tédio e amor. O tom caseiro e até meio descompromissado reflete nas músicas que soam inacabadas, como se estivesse compondo e experimentando o som naquele exato momento.

Gênero: Pop/ Lo-fi

Link: https://davidbeat.bandcamp.com/album/experimental-pop


Mulata Sonata – O absurdo mora ao lado

 

 

 

 

 

 

 

Novo álbum do Mulata sonata que reúne músicas gravadas nos dois últimos anos e que reflete as buscas e ideias estranhas que formam os turbilhões verdes e brilhantes das nossas cabeças e que acompanham o dia-a-dia das estrelas do mar. Um pouco de muita coisa que explode à nossa vista em diversas canções malucas.

Gênero: Experimental/ Hip hop/ Eletrônico

Link: http://bit.ly/OAbsurdoMoraAoLado


Vermes do Limbo + Bernardo Pacheco – Berne_Fatal

 

 

 

 

 

 

 

O álbum que reúne a dupla paranaense Vermes do Limbo com o músico paulista Bernardo Pacheco (Elma, Are You God?), BERNE_FATAL (Sinewave) conta com doze faixas em pouco menos de dezesseis minutos do que se pode chamar de pós-jazz-punk caótico, cáustico e fervilhante.

Gênero: Noise-rock

Link: http://bit.ly/Berne_Fatal


Jonathan Tadeu – Filho do Meio

 

 

 

 

 

 

 

Um dos representantes do rock triste belorizontino Jonathan Tadeu não é novidade no Som do Som, muito menos para quem acompanha a cena independente. O músico fez parte das bandas Quase Coadjuvante e Lupe de Lupe, esta última ganhou uma faixa em seu novo trabalho. Em o Filho do Meio, o músico segue apostando em um som com guitarras lamuriosas, vocal limpo e simples e letras que descrevem vivências.

Gênero: Sadcore/ Inide Rock

Link: tinyurl.com/mayn4ro


Bials Speech – Agora Não Tem Volta

 

 

 

 

 

 

 

Bials Speech está ali entre a genialidade e o hipsterismo, na lacuna entre a verdade e a ironia, entre as doideiras do Ariel Pink e o último disco do My Bloody Valentine. Em Agora Não Tem Volta, lançado pela NapNap Records, apresenta  em nove faixas – com nomes um tanto diferentes – uma mistura de sonoridades.

Gênero: Experimental

Link: https://napnaprecords.bandcamp.com/album/agora-n-o-tem-volta


Mad Monkees – Mad Monkees

 

 

 

 

 

 

 

Mad Monkees tem só dois anos de carreira, mas apresenta um som bem maduro influenciado por clássicos do Rock como Led Zeppelin, Jimi Hendrix e Black Sabbath, além das mais atuais como Queens of The Stone Age, Foo Fighters, Royal Blood. Várias vertentes do Rock com pegada e letras em inglês. Para o disco homônimo, primeiros, a banda cearense recorreu ao produtor Carlos Eduardo Miranda, que dispensa comentários. Sonzeira das boas.

Gênero: Rock

Link: https://madmonkees.bandcamp.com/album/mad-monkees-2


Unbelievable Things – Wasted Time

 

 

 

 

 

 

 

Gravado e mixado pela própria banda durante o Carnaval, Wasted Time conta com três músicas. Esse é o segundo EP do grupo em um ano de carreira influenciada por bandas dos anos 90 como Pavement e Superchunk, além de outras bandas brasileiras que seguiram os passos dessas mais adiante como a mineira Top Surprise, a Superguidis (RS) e a The John Candy (RJ).

Gênero: Lo-fi

Link: http://bit.ly/WastedTimeEP


SPINOSA – Beijo Burocrático

 

 

 

 

 

 

 

A estreia de Renato Spinosa, ou simplesmente SPINOSA, reúne desde faixas escritas exclusivamente para esse EP até canções feitas há 15 anos. Essencialmente romântico, este trabalho é um ato confessional de quem passou noites pensando em amores errados e escolhas doloridas, mas é também sobre a experiência de ser artista na metrópole e buscar sobressair às normatividades, especialmente as musicais.

Gênero: Pop/MPB

Link: https://renatospinosa.bandcamp.com/album/beijo-burocr-tico


I Buried Paul – Neplanta

 

 

 

 

 

 

 

Novo álbum do I Buried Paul, projeto liderado pelo músico Pedro Oliveira, brasileiro radicado na Alemanha. Nepantla (Sinewave) conta com seis faixas juntando gravações de campo com improvisações de drone metal influenciados por bandas como Earth e Sunn O))).

Gênero:

Link: https://sinewave1.bandcamp.com/album/nepantla


The Spaceballs – The Spaceballs

 

 

 

 

 

 

 

The Spaceballs é uma banda de rockabilly moderna brasileira. Composto por: Ale Marinho (Guitarra, Vocais), Marcelo Zarra (Contrabaixo, Vocais) e Jeff Billy (Bateria). A banda paulista é influenciada por artistas como Stray Cats, Brian Setzer, Darrel Higham, The Rhythm Shakers, Go Cat Go, Eddie Cochran, Elvis Presley, Bill Haley e Billy Lee Riley.

Gênero: Rockabilly

Link: https://thespaceballs.bandcamp.com/album/the-spaceballs


Zona Nobre do Fundo do Poço – Hits da Pós-Depressão

 

 

 

 

 

 

 

Gravado poelo músico e produtor José Ramiro Martinez, nome por trás do projeto, em viagens solitárias entre Fortaleza e Aquiraz, as influências mais evidentes no trabalho anterior — como Flaming Lips e Radiohead — permanecem. Neste EP, lançado pelos selos Boldo & Banana Records, de quatro faixas, elas voltam acompanhadas de melodias dançantes e uma onda de referências sonoras à década de 80.

Gênero: Synthpop/ Dream Pop/ Experimental

Link: https://boldomusical.bandcamp.com/album/hits-da-p-s-depress-o


New Model – Tropical Technology

 

 

 

 

 

 

 

Tropical Technology (Boldo Musical) é o primeiro trabalho do duo cearense formado por Lua Underwood e Lola Aaliyáh García, Como o título deixa transparecer, o EP mistura música eletrônica com elementos rítmicos tropicais, cheio de referências aos anos 80. Uma estética que combina bem com o visual da dupla.

Gênero: Pop

Link: https://boldomusical.bandcamp.com/album/tropical-technology


Madame Rrose Sélavy  – Filhos Dourados do Soul

 

 

 

 

 

 

 

Liderada pelo inventivo TucA a banda Madame Rrose Sélavy apresenta o seu oitavo álbum. Em Filhos Dourados do Soul as letras remetem ao cotidiano, onde a poesia, a crítica social, a imaginação e a realidade se misturam e os beats são acentuados pelas texturas das guitarras, dos vocais e dos sintetizadores.

Gênero: Experimental

Link: http://bit.ly/FilhosDouradosdoSoul


Zé Bigode – Fluxo

 

 

 

 

 

 

 

O primeiro álbum cheio do carioca Zé Bigode, Fluxo, é um convite a visitar os pontos históricos do Rio de Janeiro, a dar um passeio noturno em Havana, sentir a herança africana nos tambores tribais ou até reviver o hard bop. Uma salada rítmica – combinando samba, reggae, baião, jazz e afro – degustada em oito canções.

Gênero: Instrumental

Link: https://zebigode.bandcamp.com/album/fluxo


Tito de Andréia – Infinito Precário

 

 

 

 

 

 

 

Infinito Precário é uma experimentação a partir da incapacidade. Uma estrada que parte do zero ao absurdo. Não se sabe onde se chegará. Eis o primeiro passo”. Gravado em 2016, o disco é o resultado da primeira incursão do Tito de Andréa na música. Em sua estreia o cearense busca captar os sons ao seu arredor como forma de retratar as experiências.

Gênero: Experimental

Link: https://titodeandrea.bandcamp.com/album/infinito-prec-rio


Raphael Evangelista – Orange Noir

 

 

 

 

 

 

 

O músico Raphael Evangelista não para, entre o Brasil e na França onde mora, além de participar de diversos projetos, sendo os mais conhecidos o Duo Finlandia e do grupo de rock Dilei, agora investe na carreira solo. A criatividade inesgotável resultou em mais um lançamento, o álbum Orange & Noir. Misturando violoncelo e música eletrônica, o disco debut traz vocais em inglês, português e francês, com uma sonoridade vibrante e atmosférica. Passeia por sons industriais, de electro house até desembarcar em ambientes folclóricos africanos e brasileiros.

Gênero:

Link: http://www.orangenoir.tk/


Luana Costa – Sou Apenas Um

 

 

 

 

 

 

 

Em seu primeiro disco, Luana Costa se apresenta ao público com um estilo pop contemporâneo, mas se mostra eclética, com canções embaladas também pelo folk e soul music, influenciada por artistas como Jason Mraz e John Mayer. A obra busca o equilíbrio entre as memórias de uma juventude inspirada pelos clássicos da Legião Urbana e a maturidade que a artista vem conquistando nesta nova fase da vida. Renato, Dado e Bonfá são, portanto, outras referências marcantes no som de Luana.

Gênero: Pop

Link: http://www.luanacosta.com.br/


Peixefante – Peixefante

 

 

 

 

 

 

 

Lançado pela Dull Dog Records (Brvnks, Black Drawing Chalks), o álbum homônimo da Peixefante foi produzido pela própria banda, tem nove faixas e é o primeiro long play do grupo desde a sua formação, em 2015. A poética envolvida nas letras busca um olhar pra dentro de si mesmo. O quinteto goiano é formado por Luique (baixo e voz), Enzo Sprung (bateria e voz), Lipito Melo (teclados, violão e voz), Arthur Ornelas (teclados, guitarras e voz) e Walter Navarrete (guitarras).

Gênero: Psicodélico/ Indie Pop

Link: http://bit.ly/Peixefante


Amora Pêra – A Dúpé – Nós Agradecemos em Iorubá

 

 

 

 

 

 

 

Cantora e compositora, Amora Pêra apresenta toda a influência que recebe das suas variadas heranças de Música Brasileira. Isso pode ser notado no novo disco, formado por 14 canções, sendo 13 de autoria da própria e com “Lágrima do Sul” de Milton Nascimento, “A Dúpé” é um álbum criado a partir do espírito da filosofia africana, tanto pelos tambores quanto pela sugestão de uma ancestralidade fundamental que perpassa o texto que o disco canta.

Gênero: MPB

Link: https://www.amorapera.com/ouvir


Arthur Melo – Agosto

 

 

 

 

 

 

 

Em seu primeiro EP o mineiro Arthur Melo imprime em suas canções o frescor dos seus 18 anos e as questões que surgem com o rito de passagem para a vida adulta – saída do colégio e as responsabilidades que uma vida a ser desbravada reserva. Ao todo são seis faixas autorais, com letras em português com forte identidade, num mix de folk e mpb com nuances ora minimalistas, ora psicodélicas.

Gênero: Folk/MPB

Link: http://bit.ly/ArthurMelo_Agosto


Cidade Estéril – Cegos Pugilistas

 

 

 

 

 

 

 

A banda piauiense Cidade Estéril estreia seu primeiro EP Cegos Pugilistas. O trabalho conta com cinco faixas radiofônicas e mostra um lado mais leve e sutil do coletivo Geração TrisTherezina, selo que assina o lançamento do ep. Como trabalho independente, o compacto traz a voz e letras de João Pedro Alves  e os arranjos de Pablo Vinícius (guitarrista). A banda conta ainda com MV Jason (bateria) e Edhy Silva (baixo).

Gênero: Rock

Link: https://cidadeesteril.bandcamp.com/


In Venus – Ruínas

 

 

 

 

 

 

 

É numa atmosfera de veia feminista e anticapitalista que a banda paulistana de post punk  In Venus lança o seu primeiro disco cheio, Ruína – via PWR Records, Efusiva, Hernia de Discos e Howlin’ Records. Com letras escritas em português e inglês, o álbum tem a produção de Lucas Lippaus. A banda é composta por Cint Ferreira (voz e teclados), Patricia Saltara (baixo), Camila Ribeiro (bateria) e Rodrigo Lima (guitarra).

Gênero: Post Punk

Link: http://bit.ly/InVenus_Ruinas


Luiza Brina e o Liquidificador – Tão Tá

 

 

 

 

 

 

 

Depois de dois anos e meio, entre gravação e produção, eis que nasceu o novo disco solo da cantora e multi-instrumentista Luiza Brina, Tão Tá. Acompanhada pela banda Liquidificador, a mineira apresenta as suas belas canções, marcadas por uma suave MPB, com toques latinos.Assim com em A toada vem é pelo vento, lançado em 2012, o novo trabalho tem a direção musical assinada por Chico Neves.

Gênero: MPB

Link: http://www.luizabrina.com/


A Sea Of Leaves – A Sea Of Leaves

 

 

 

 

 

 

 

O álbum foi lançado originalmente em 2009 em dois formatos: em CD físico caseiro, vendido em mãos no I Sinewave Festival em julho de 2009; e em formato EP digital somente com quatro faixas, lançado pela Sinewave. Este relançamento de 2017 é a primeira vez em que o álbum é lançado na internet em sua totalidade, com todas as nove músicas do CD físico, em alta qualidade.

Gênero: Indie rock/Shoegaze

Link: http://bit.ly/ASeaofLeaves


Soledad – Soledad

 

 

 

 

 

 

 

O álbum, primeiro da cantora e atriz Soledad, trata-se de um disco de sentimentos, tanto nas letras como nas melodias, que se encaixam com a voz forte da cearense. Lançado pelo selo EAEO, o disco homônimo conta com oito canções compostas por músicos como Daniel Groove, Gui Amabis, Uirá dos Reis e Vitor Colares. Na faixa “Jardim Suspenso” a cantora teve a companhia do seu conterrâneo  Fernando Catatau, vocalista da banda Cidadão Instigado.

Gênero: Pop

Link: https://soledadsoledad.bandcamp.com/album/soledad


Change Your Life – Change Your Life

 

 

 

 

 

 

 

Depois de um hiato que já se completava quatro anos, a banda gaúcha voltou a cena para o seu último ato (será?). Para ficar registrado lançaram um EP homônimo bem curto, com nove faixas que juntas dão menos de 10 minutos. É pauleira do inicio ao fim com criticas ao sistema.

Gênero: Punk

Link: http://bit.ly/EPChangeYourLife


e/ou – e/ou

 

 

 

 

 

 

 

e/ou é o encontro de três músicos multi-instrumentistas: Luque Diaz, Luciano Faccini e Yasmine Matusita. As canções, músicas instrumentais e poesias são autorais, muitas em parceria com outros artistas e representam um movimento sinérgico de jovens de Curitiba.

Gênero: MPB

Link: http://bit.ly/e-ou


Astralplane – Redevout

 

 

 

 

 

 

 

Redevout (NHL Music) é o álbum de estreia da banda baiana psicodélica Astralplane, que revisita suas raízes e faz um som com grande influência brasileira, com letras em português, muito pop psicodélico, timbres encantadores e um gostinho de rock 80’s.

Gênero:

Link: http://bit.ly/Redevout


Netvno – Primeiro Estação

 

 

 

 

 

 

 

Mesclando inspirações que perpassam a música popular brasileira e ritmos estrangeiros como pop, rock, reggae e jazz, Netvno faz o seu debut em Primeira Estação. Leveza e intensidade se encontram em suas composições, arranjos e na voz doce de Aglaia. Destaque para as letras, que funcionam como singelas crônicas urbanas e criam uma identificação instantânea. Completam o quinteto do interior do estado de São Paulo, Diego Morais, Fred Negrini, Murilo Gonçalves e Bruno Castro. Uma banda para ficar de olho!

Gênero: MPB

Link: http://bit.ly/PrimeiraEstação


Ramonna – Cinza

 

 

 

 

 

 

 

 

Ramonna é uma banda fortalezense de indierock formada em 2012 influenciada por The Strokes, Nirvana, The White Stripes, Kings of Leon e outros artistas indie e alternativos de cenas mais locais. Depois de A Banda Mais Rejeitada da Cidade (2015), a banda lança o seu segundo EP, Cinza, com quatro faixas.

Gênero: Indie

Link:  http://bit.ly/Ramonna_Cinza


sOmbaguá – Cara Merreca

 

 

 

 

 

 

 

“Um trio paulistano de música “bipolar” brasileira”. É desta forma que a banda  SOmbaguá  se define. Isso porque o som do grupo oscila entre momentos agitados e calmos. O trio – Gui Rampazo, Marinheiro Manso e Felipe Sauma – lançou o seu segundo EP, Cara Marreca, com seis músicas autorais gravadas e finalizadas por Janja Gomes no estúdio Medusa (SP).

Gênero: MPB

Link: https://sombagua.bandcamp.com/album/cara-merreca


Potato Squad – Is There Love In Outer Space?

 

 

 

 

 

 

 

Potato Squad é o projeto solo do multi-instrumentista Daniel Teles (The Scuba Divers, DanT.). Fortemente inspirado em bandas dos movimentos New Wave e Post Punk, o músico lançou o disco Is There Love In Outer Space? (Salitre Records e Lixo Records) que traz oito faixas que oscilam entre um romantismo ingênuo e densas reflexões sobre nosso lugar no universo.

Gênero:

Link:  http://bit.ly/Potato_Squad


No Crowd Surfing – Leftovers

 

 

 

 

 

 

 

A banda paranaense que hoje se encontra em hiato por questões geográficas, solta EP gravado em 2015, com quatro canções recheadas de guitarras ala Built to Spill e as boas vibes do primeiro disco do Yuck. Leflovers (Nap Nap Records) segue a linha do disco Pretending I’m Not Here (2014), com forte influência do som noventista de bandas como Dinosaur Jr, Superchunk, Built To Spill e Guided By Voices e das mais recentes The Cribs, Swearin’ e Soundscapes.

Gênero: Indie Rock/ Lo-fi

Link: https://napnaprecords.bandcamp.com/album/leftovers


Mario The Alencar – Great Diary Things

 

 

 

 

 

 

 

Com Influências de Eliott Smith, Pedro The Lion e Daniel Johnston, o cantor e compositor alagoano Mario The Alencar lança o seu novo trabalho. Great Diary Things (Crooked Tree Records) é um álbum gravado em Maceió entre 2016 e 2017. São 11 faixas em inglês, em um clima lo-fi puxando mais para um pop noise e folk.

Gênero:

Link: http://bit.ly/GreatDiaryThings


Kaust – Insana Inocência

 

 

 

 

 

 

 

Influenciada pela diversidade do rock alternativo, pelo psicodélico dos anos 60, as várias faces do pós punk, e ícones como David Bowie, a Kaust se consolidou em Belo Horizonte – MG, nos primeiros meses de 2016, com Emerson Fluyd (compositor, guitarra, voz), Adriano Cunha (baixo), Yuki Castro (compositor, bateria e voz), e Adriano Bê (compositor, guitarra e voz).  Em 2017, a banda lança o seu primeiro EP, Insana Inocência, lançado pela Salitre Records.

Gênero: Post-rock/ lo-fi

Link: https://salitrerecords.bandcamp.com/album/insana-inoc-ncia


Pequeno Céu – Praia Vermelha

 

 

 

 

 

 

 

Quem disse que em Minas não tem praia? Tem e com uma onda sonora contínua de uma hora de duração, que inundou Belo Horizonte e pretende fazer o mesmo pelo país. Som instrumental, mescla de post rock e math rock em 12 faixas. Praia Vermelha é o terceiro álbum da banda Pequeno Céu, formada por Bernardo Bauer, Ciro Trevisan, Matheus Rocha, Manuel Horta e Renato Moura.

Gênero: Instrumental

Link: https://pequenoceu.bandcamp.com/album/praia-vermelha


Well Figuerê – Well Figuerê

 

 

 

 

 

 

 

Na combinação voz e violão, o cantor e compositor Well Figuerê faz a sua estreia com o EP homônimo. O belo e promissor trabalho é bem curto, são só três faixas, com uma levada grooveada, apesar de seguir uma linha mais para MPB, o som capta elementos do funk. Uma amostra que da vontade de conhecer muito mais.

Gênero: MPB

Link: https://wellfiguere.bandcamp.com/album/well-figuer-ep


Astronauta Elvis – Baladas Sujas

 

 

 

 

 

 

 

Joe Seabra (vocal), Luana Cella (baixo), Camila Bittencourt (guitarra), Jean Ripa (bateria) e Bruno Girelli (guitarra),foram influenciados por bandas de garagem das décadas de 50/60 e filmes do Bruce Lee, o que resultou em um Pop Garage ao mesmo tempo dançante e nervoso.

Gênero: Pop Garage

Link: http://bit.ly/AstronautaElvis


Chico de Barro – Nogueira

 

 

 

 

 

 

 

Melancólico, despretensioso e amoroso. Nogueira (Efusiva) é o primeiro EP da banda carioca Chico de Barro. Com cinco faixas autorais a estreia do trio – Nathanne Rodrigues (voz e guitarra), Pedro Martins (baixo) e Pedro Millecco (bateria) – abrange sonoridades como o emo, o psicodélico e a MPB. Disco para dar aquela sofrência, mas sem se debulhar em lagrimas.

Gênero: Emo/ Psicodélico/ MPB

Link: http://bit.ly/ChicodeBarro


Foolish Loony Girl – The Trick

 

 

 

 

 

 

 

Novíssima banda potiguar, Foolish Loony Girl da uma pequena amostra do seu som em The Trick. O EP traz duas faixas, mas é na canção que da nome ao trabalho do grupo que podemos conhecer de fato a produção traçada pela mistura de blues e rock progressivo. “The Trick é uma festa sem ninguém, que também é uma festa de ninguém feita por todo mundo”.

Gênero: Blues/Rock Progressivo

Link: https://foolishloonygirl1.bandcamp.com/


Camarones Orquestra Guitarristica – Feeexta

 

 

 

 

 

 

 

A Camarones é daquelas bandas instrumentais que você escuta do começo ao fim e nem sente que não tem um vocal. Isso porque a qualidade sonora e a harmonia entre Ana Morena, Anderson Foca, Yves Fernandes e Alexandre Capilé são absurdas. Exagero? Nem um pouco! É só escutar o novo álbum dos potiguares, que comemoram 10 anos de carreira em 2017. Feeexta, como o próprio nome revela, traz um som pra cima, bem a cara deles e que ao vivo deve ser mais porreta ainda. Lançado pela Hearts Bleed Blue em parceria com o selo DoSol, o disco traz as participações especiais de Rick Mastria (Dead Fish), David Datcho (Los Tormentos) e Arnauld Merckling (Dot Legacy).

Gênero: Rock

Link: https://camaronesorquestraguitarristica.bandcamp.com/album/feeexta


Dr. Drumah – 90’s Mindz

 

 

 

 

 

 

 

Buscando referências na era de ouro do boom bap, o produtor e baterista baiano Dr. Drumah a.k.a. Jorge Dubman (grupo IFÁ) acaba de lançar um álbum preenchido por uma sequência de raps instrumentais, 16 ao todo. Como o título sugere 90’s Mindz é um trabalho totalmente influenciado pelas produções da saudosa década em que o jazzy hip hop mostrou sua força.

Gênero: Rap

Link: https://77riserecordings.bandcamp.com/album/dr-drumah-90s-mindz


Kiko Dinucci – Cortes Curtos

 

 

 

 

 

 

 

Integrante dos grupos Metá Metá e Passo Torto, Kiko Dinucci lança o seu primeiro trabalho solo. O disco mistura o samba paulistano com o lado caótico do pós-punk dos anos 80. São 15 canções curtas e diretas, que contam pequenas crônicas sobre o cotidiano da cidade de São Paulo. Cortes Curtos traz participações de Juçara Marçal, Tulipa Ruiz, Ná Ozzetti, Suzana Salles, Guilherme Held, Thiago França, Rodrigo Campos, Guilherme Valério e Rafa Barreto.

Gênero:  Samba/Punk

Link: http://kikodinucci.com.br/


Camarones Orquestra Guitarristica – Live in Natal

 

 

 

 

 

 

 

Assim como na lista de 2015, esse ano, que está só no começo, tiveram dois lançamentos da Camarones. Além de Feeexta, a banda liberou mais um presente para os seus fãs e admiradores, o Live in Natal. Gravado em 2012, na Casa da Ribeira, em Natal, o disco incorpora a energia da banda ao vivo.

Gênero: Rock

Link: https://camaronesorquestraguitarristica.bandcamp.com/album/live-in-natal


Ventilador de Teto – Desejo/Sufoco

 

 

 

 

 

 

 

Desejo/Sufoco é o nome do primeiro trabalho dos cariocas da Ventilador de Teto, mas também poderia ser (ou é?)  a definição da curta e promissora carreira da banda iniciada em 2015. Formada por jovens de Duque de Caxias ávidos por fazer música e fazer acontecer, a banda mesmo com os perrengues por falta de grana lançou o EP de estreia. Não contentes fundaram também o selo Valente Records, que até o momento só tem o compacto deles. Com quatro faixas autorais, o som dos meninos do Rio vai agradar em cheio aos Indies de plantão, ao trazer uma levada pop e pitadas de Arctic Monkeys.

Gênero: Indie

Link: https://valenterecords.bandcamp.com/album/desejo-sufoco


Congo Congo – Congo Congo

 

 

 

 

 

 

 

Gravado ao vivo no estúdio Ilha do Corvo, em Belo Horizonte, o primeiro disco, de nome homônimo, Congo Congo (La Femme Qui Roule) aposta no rock psicodélico e na bagagem musical dos seus integrantes. A banda reúne alguns dos nomes mais relevantes da cena indie local: Victor Magalhães, Gustavo Cunha (Iconili), André Travassos (Câmera, Invisível, M O O N S), Yannick Falisse (Teach Me Tiger), Leonardo Marques e Pedro Hamdan (Transmissor).

Gênero: Rock Psicodélico

Link: https://congocongo.bandcamp.com/album/congo-congo


Matheus Santiago – Votu

 

 

 

 

 

 

 

Como o bailar do vento, fonte de inspiração para o seu trabalho, o cearense Matheus Santiago apresenta a sua malemolência e swing misturando sons como afrobeat, reggae, samba, ijexá, e rock. Produzido por Caio Castelo, o compacto foi gravado foi gravado em Fortaleza, mas as letras foram concebidas entre o Ceará e Minas.

Gênero:

Link: https://matheussantiago.bandcamp.com/releases


Pratagy – Búfalo

 

 

 

 

 

 

 

Búfalo é o segundo disco solo do músico paraense Leonardo Pratagy. Gravado em estúdios caseiros, o álbum conta com sete faixas embaladas por um pop romântico melódico e agradável de ouvir. Entre as suas referências, o cantor não deixou de lado a sonoridade do Pará ao trazer na faixa-título um suave tecnobrega.

Gênero: Pop

Link: http://bit.ly/Protagy


Meio Amargo – Tudo o que dissemos que não era

 

 

 

 

 

 

 

Depois de dois EPs, Lucas Padilha lança o primeiro disco do seu projeto Meio Amargo. Inspirado nos poemas de Charles Bukowski, o músico paraense canta o amor em dez faixas inéditas. Gravado em Belém, o álbum parte da sonoridade folk, mas passeia por referências de artistas como Wilco, Beck, Brown Bird, Eels, Mark Lanegan e muitos outros. João Lemos (Molho Negro), Manuel Malvar (ex-Norman Bates) e Netto (Turbo) completam a banda.

Gênero: Folk

Link: http://bit.ly/MeioAmargo


Sereno – Adivinhar o Futuro das Estrelas

 

 

 

 

 

 

 

Adivinhar o Futuro das Estrelas é o disco de estreia dos irmãos cariocas Vinicius e Victor Damazio, nomes por trás do projeto Sereno. Gravado de forma caseira “em três dias de sol do mês de agosto de 2016 no Rio de Janeiro”, o EP traz o frescor da juventude tanto na temática, quanto na sonoridade (indie rock/lo-fi/emo). O compacto, composto por cinco faixas autorais, é um lançamento do selo Violeta Discos.

Gênero: indie rock/lo-fi/emo

Link: https://violetadiscos.bandcamp.com/releases


Joana de Barro – Mió

 

 

 

 

 

 

 

Inspirada pela poesia pós-moderna de Manoel de Barros, a estreia dos rapazes suburbanos de Campo Grande traz cinco faixas marcadas pelo traço vanguardista e contemporâneo de influências que vão do Clube da Esquina ao funk, do hardcore ao afroreggae, passando pelo regionalismo.

Gênero: Pop

Link: https://joanadebarro.bandcamp.com/album/mi


Juventude Bronzeada – Tropical Lacrador

 

 

 

 

 

 

 

Comandado por três jovens destaques da cena contemporânea de BH – Thales Silva, Rodrigo Magalhães e Fernando Monteiro e com a participação de outros músicos mineiros, o bloco carnavalesco Juventude Bronzeada é inspirado na malemolência, no gingado e, sobretudo, na sonoridade do Axé Music dos anos 90, levadas de samba-reggae e do afoxé. Música com conteúdo, mas para pular, dançar e se divertir até o último acorde ou até o seu corpo aguentar.

Gênero: Axé

Link: http://bit.ly/TropicalLacrador


This Lonely Crowd – This Lonely Crowd

 

 

 

 

 

 

 

Lançado pela Sinewave, o homônimo álbum é o novo trabalho do quinteto curitibano. This Lonely Crowd, que completa sete anos de carreira em 2017. O disco conta com nove faixas que abrangem influências de indie rock, post-rock, shoegaze e metal, com letras adaptadas de poesias de Florbela Espanca, Mary Shelley, Cora Coralina, Oscar Wilde, dentre outros.

Gênero: Indie Rock

Link: http://bit.ly/ThisLonelyCrowd


Neres – Origens

 

 

 

 

 

 

 

Com apenas 18 anos, de Imperatriz, sul do Maranhão, João Neres, ou simplesmente Neres, da os seus primeiros passos na música profissionalmente com a estreia do EP Origens. Produzido e gravado pelo próprio músico, o compacto conta com quatro canções autorais em um clima intimista e melancólico.

Gênero: MPB/Indie Pop

Link: bit.ly/NeresOneRPM


Jonatas Onofre – Aparicíon

 

 

 

 

 

 

 

Ainda seguindo o estilo lo-fi de produção, o cantor e compositor pernambucano Jonatas Onofre apresenta o seu novo projeto musical, com um repertório de nove canções: algumas de autoria solo outras em parceria com os poetas Zizo, André Monteiro e Tarcísio Neto e o músico Raul Albuquerque. Aparicíon embora inaugure um novo horizonte para as produções de Jonatas, ainda segue a trajetória narrativa dos trabalhos anteriores.

Gênero: MPB/Experimental

Link: http://bit.ly/Aparacion


Ana Muller – Ana Muller

 

 

 

 

 

 

 

“Com mais de seis milhões de views no Youtube apenas com canções autorais voz e violão, a cantora Ana Muller lança, pelo selo Garimpo Brasileiríssimos, seu primeiro trabalho de estúdio. Homônimo, o EP contém cinco canções divididas entre inéditas e outras bastante reconhecidas pelo fiel público da artista”.

Gênero: MPB/Pop

Link:  https://garimpo.lnk.to/anamullerep


Ciro e a Cidade – Encharcado

 

 

 

 

 

 

 

Quem acompanha o Som do Som sabe que Rio Grande do Norte produz uma intensa cena musical, sempre revelando novos talentos. É de lá que vem a banda Ciro e a Cidade. Misturando a MPB dos anos 70, indie rock e o brega nordestino, o grupo faz a estreia do seu primeiro EP, Encharcado. O clima das canções traz, além da referência musical tropical, um pouco da paisagem natalense.

Gênero: MPB/Inide Rock/Brega

Link: http://bit.ly/Encharcado


Eletrique Zamba – Vol.I

 

 

 

 

 

 

 

Integrante do coletivo Geração TrisTherezina do Piauí, o Eletrique Zamba chega com bastante munição, estreia seu debut intitulado Vol. I e ataca em várias frentes como a do samba de morro, o batuque de terreiro, o reggae roots, a música eletrônica e claro, o pop. A banda é um projeto dos músicos Fábio Christian “Crazy” e Lívio Nascimento.

Gênero: Samba/ Jazz/ Eletrônica/ Pop

Link: https://bandaeletriquezamba.bandcamp.com/album/vol-i


Rotina Abstrata – Rotina Abstrata

 

 

 

 

 

 

 

Rotina Abstrata é o primeiro lançamento de 2017 da Lezma Records, um projeto audiovisual de Pauline Crais, Ícaro Estivalet e José Fonseca e projeto gráfico com artes do cartunista Diego Gerlach. O EP é o registro de experimentações sonoras estimuladas com elementos sintéticos carregados por corpos orgânicos em um formato fechado de quatro canções.”

Gênero: Experimental

Link: http://bit.ly/RotinaAbstrataEP


Cidade Dormitório – Esperando o Pior

 

 

 

 

 

 

 

Formada em 2015 por Yves Deluc, Lauro Francis Carvalho, Heder Nascimento e Fábio Aricawa, a banda de Aracaju Cidade Dormitório aposta na dobradinha indie + rock psicodélico no seu EP de estreia, Esperando o Pior. As letras autorais versam sobre o cotidiano e (des) amor.

Gênero: Idie/Rock psicodélico

Link: https://cidadedormitorio.bandcamp.com/releases


Cold Café – Caos-Pensamento

 

 

 

 

 

 

 

“O Caos-Pensamento é uma mescla de rock psicodélico com shoegaze (não no sentido das guitarras distorcidas causando infinitas microfonias ou de quase qualquer coisa estar encharcada de reverb, mas no sentido de experimentar de certas ambiências)”.

Gênero: Rock Psicodélico/ Shoegaze

Link: https://bananarecords.bandcamp.com/album/caos-pensamento


Paquetá – Surfadelic Dreams

 

 

 

 

 

 

 

Com apenas dois anos de carreira e vários shows na conta, a banda de Canoas mostra que a opção por fazer música é algo sério e agora mostra o seu primeiro trabalho. Com um som instrumental que transita entre o punk, surf music e o psicodélico, o álbum traz cinco faixas assinadas pelos próprios integrantes. Como eles gostam de dizer “é uma banda para dançar de uma forma desengonçada”.

Gênero: Punk/ Surf Music/ Psicodélico

Link: https://paqueta.bandcamp.com/album/surfadelic-dreams


Lobos de Calla – Às Vezes Eles Voltam

 

 

 

 

 

 

 

Às Vezes Eles Voltam é um disco bem eclético, que viaja fundo nas raízes da banda de BH e as influências musicais de seus integrantes. A cada faixa se pode ouvir referências a estilos e movimentos musicais diversos, como o rock nacional dos anos 90, a explosão do rock britânico dos anos 60, o punk rock dos anos 80, elementos de rock progressivo, MPB, e até mesmo heavy metal.

Gênero: Rock

Link: https://lobosdecalla.bandcamp.com/album/s-vezes-eles-voltam-2017


Atalanta – Eixo Imaginário

 

 

 

 

 

 

 

“Rock alternativo, brasileiro, elétrico e enérgico”. É desta forma que a banda de Belo Horizonte Atalanta define o seu som. Formado por Marcos Virgilio, Talles Herique, Luan Barret, Guilherme Boggione e Hilton Araújo, o grupo apresenta o seu EP de estreia, Eixo Imaginário.

Gênero: Rock

Link: https://atalantabanda.bandcamp.com/album/eixo-imaginario


Cadillac Dinossauros – PretoBranco

 

 

 

 

 

 

 

Gravado na Toca do Bandido, PretoBranco é o quarto disco da banda paranaense Cadillac Dinossauros. Fugindo de rótulos, o grupo traz um som marginal e contestador, com letras afiadas embaladas por muito rock e groove.

Gênero: Rock

Link: http://www.cadillacdinossauros.com.br/


Aláfia – SP Não é Sopa

 

 

 

 

 

 

 

Com 11 faixas que se conectam, o novo disco – produzido e dirigido por Eduardo Brechó – é trilha sonora para a megalópole. SP Não é Sopa é um disco de canções, com referências tradicionais em roupagens não convencionais. Gravado no Red Bull Studios e Fluxo Produções, o álbum traz as participações especiais de Tássia Reis, Raquel Virgínia e Assucena (As Bahias e A Cozinha Mineira), Fernando Ripol (Samba do Congo) e  Luísa Maita.

Gênero: Hip-hop/Rap

Link: http://alafia.art.br/discos/#


Thiago Elniño – A Rotina do Pombo

 

 

 

 

 

 

 

“Feche os olhos, sinta o som para entender o que propomos”. As palavras do rapper de Volta Redonda, Thiago Elniño na canção “Não Conforme”, nada mais é do que um convite a embarcar nas experiências vividas pelo personagem “sem nome”, como a questão social, racial, o preconceito. Fatos não muito distantes do músico, que também é pedagogo. Música combativa, feita com alma, sentimento e verdade.

Gênero: Rap

Link: http://bit.ly/ARoTinaDoPombo


Alquifonia – Gôsto de São Paulo

 

 

 

 

 

 

 

Alquifonia é menos uma banda do que um experimento. Fernanda Broggi (voz), Fidura Cardial (voz e violão), Paula Duarte (flauta transversal) e Thiago Santos (contrabaixo acústico) compõem o grupo, mas não o esgotam. A exploração dos sons não finda os males do mundo, não se opõe aos conceitos, não embate com o dinheiro, apenas afirma que “música é música”.

Gênero: MPB/ Experimental

Link: https://alquifonia.bandcamp.com/releases


Aminoácido – Meticuloso

 

 

 

 

 

 

 

“Aminoácido, fundada em 2016, a banda de Londrina emana vibrações sonoras provocadas por uma ligação peptídica tetravalente, composta por Thiago Fenilalanina, Douglas Lisina, Lugue Histidina e Cristiano Prolin”a.

Gênero: Experimental

Link: https://aminoacido.bandcamp.com/releases


Juna – Marina Goes To Moon

 

 

 

 

 

 

 

Marina Goes To de Moon é o primeiro registro da promissora banda de São Leopoldo, RS.  Formada por  Victória Appollo (guitarra, violões, teclados e vocais) e Thomas Almeida (bateria, guitarra, contra-baixo e vocais), Juna traz o contraste da leveza das vozes com um som mais pegado, transitando entre o space rock, dream pop e Shoegaze.

Gênero: Space Rock/ Dream Pop/ Shoegaze

Link: https://juna.bandcamp.com/releases


Melies – Ephemeris

 

 

 

 

 

 

 

Melies é um duo formado por Danna e Giovanni Caracho. Foi através do modo como os dois jovens se conheceram, via web, que gravaram todo o álbum. Lançado pelo selo Nap Nap Records, o álbum flerta com o post-rock do Explosions In The Sky, com as batidas eletrônicas ala Postal Service e as texturas e música ambiente de bandas como o Maybeshewill.

Gênero:

Link: https://napnaprecords.bandcamp.com/album/ephemeris


Motorama – Fogos de Artificio

 

 

 

 

 

 

 

Com 18 anos de carreira completados este ano, a banda Motorama, para celebrar a importante marca, lançou o seu quarto disco de inéditas, Fogos de Artificio. Produzido por Romulo Ramazini, o álbum traz oito faixas com uma pegada rock, indie e psicodélica.

Gênero: Rock

Link:  https://midsummermadness.bandcamp.com/album/fogos-de-artif-cio


Joe Silhueta – Ritos do Leito

 

 

 

 

 

 

 

Joe Silhueta é o projeto musical do compositor brasiliense Guilherme Cobelo. Destaque do cenário musical de Brasília, Joe Silhueta reúne um time de músicos de respeito, além de Cabelo, fazem parte Kelton Gomes, Gaivota Naves, Carlos Beleza, Tarso Jones, Márlon Tugdual, Lucas Sombrio e Thiago Delimacruz. Por conta dessa mistura, o som traz referências diversificadas, indo do rock e do folk norte-americano até a música nordestina de nomes como Elomar, Zé Ramalho e Alceu Valença.

Gênero: Folk

Link: https://joesilhueta.bandcamp.com/album/ritos-do-leito


A Espetacular Charanga do França – Chão Molhado da Roça

 

 

 

 

 

 

 

A Espetacular Charanga do França mais uma vez pede passagem para apresentar no seu novo lançamento carnavalesco, Chão Molhado da Roça. Diferente do disco do ano passado, o EP traz quatro faixas instrumentais. Idealizado pelo saxofonista Thiago França (Metá-Metá), o bloco surgiu há quatro anos propondo uma releitura das tradicionais charangas brasileiras, incluindo elementos de cumbia, maxixe, jazz e samba.

Gênero:

Link: http://bit.ly/ChãoMolhadoDaRoça


The Scuba Divers – The Scuba Divers

 

 

 

 

 

 

 

Com uma sonoridade que vai desde o post-punk ultra-romântico da cena inglesa dos anos 80 até a fúria dissonante da Seattle dos anos 90, o primeiro álbum da banda de Santos The Scuba Divers é uma colagem de barulho e de poesia. As letras abordam temas que variam de paisagens oníricas e obras de ficção a estados de confusão mental, amor e angústia.

Gênero: Post-Punk

Link: https://lixorecords.bandcamp.com/album/the-scuba-divers


Diptych – Spirit Desire

 

 

 

 

 

 

 

Projeto home made do paulistano Sávio Lopes, que como o nome do álbum entrega tem influências de Sonic Youth, mas também de Cat Power e Velvet Underground, PJ harvey, Folk, a até um pouco de Blues. O disco conta com 11 canções que falam sobre algumas experiências pessoais e cenas do cotidiano.

Gênero: Folk/ Dark Pop/ Experimental/ Lo-Fi

Link: https://diptych.bandcamp.com/album/spirit-desire


Black Cold Bottles – Percept

 

 

 

 

 

 

 

Depois de lançar um EP e passar por um hiato criativo, a banda São Bernardo do Campo Black Cold Bottles volta a cena com o seu primeiro álbum, Percept. Com 11 faixas em inglês, o disco traz influências de rock alternativo, shoegaze, grunge e indie rock.

Gênero: Rock

Link: https://soundcloud.com/blackcoldbottles/sets/percept


Meu Nome Não é Portugas – endopassos

 

 

 

 

 

 

 

O curioso título do projeto, Meu Nome Não é Portugas surgiu de maneira descontraída em uma brincadeira entre amigos, Rubens Adati – que também atua como guitarrista e vocalista na banda Vladvostock, toca guitarra no projeto solo de Ale Sater (baixista e vocalista da banda Terno Rei) e também é guitarrista do músico Giovani Cidreira – gostou da sonoridade e resolveu de fato usar como nome do projeto solo. e n d o p a s s o s é denso e intenso, trabalho que merece ser ouvido com atenção e vai te agarrar pela sonoridade instigante.

Gênero: Experimental

Link: https://bananarecords.bandcamp.com/album/e-n-d-o-p-a-s-s-o-s


Testemolde – Pausa

 

 

 

 

 

 

 

“As sonoridades do novo EP evidenciam o amadurecimento do trio – Azeite de Leos, David Menezes Davox  e Guilherme Garcia. Em um lugar “entre” estilos sonoros, e buscando sempre explorar texturas e timbres não usuais dos instrumentos, o Testemolde transita entre pegadas agressivas de hardcore e grunge metal, e outros estilos contemporâneos”.

Gênero: Instrumental

Link: http://bit.ly/PausaEP


Azeaerre – Sinal de Vida

 

 

 

 

 

 

 

Representante do rap catarinense, Azeaerre lança o seu novo trabalho, Sinal de Vida. Com sete faixas, o EP traz as participação de Sandro PRV, DudaMurffin, Símio, Jordi além de trechos da entrevista de Marcio Mos para o programa AZIK Talk Show.

Gênero: Rap

Link: http://bit.ly/Azeaerre

COMPARTILHAR:

Comentários no Facebook