Entrevista: Radiolaria

264
0
COMPARTILHAR:

Um ano depois do lançamento do seu primeiro disco, a Radiolaria começa a apresentar as novidades para 2015. Comemorando a recente indicação ao 26º Prêmio da Música Brasileira, a banda estreia o single e clipe de “Beijo de Cinema”.

A música, além de refletir um momento de mais maturidade e entrosamento entre a banda, está inserida no lugar onde o grupo pretendeu ocupar desde o início, em 2009, no qual canções sofisticadas, mas ao mesmo tempo carregadas de simplicidade e ‘mineiridade’, harmonias cuidadosas e arranjos e vocais vigorosos dão o tom do trabalho. A faixa estará no próximo álbum dos mineiros, previsto para o ano que vem.

Acompanhando o single, o quinteto lançou o clipe gravado e produzido por eles mesmos. O vídeo mostra o  grafiteiro Ramar Gama Alvim no estúdio do  tecladista, Pedro Rios, fazendo uma obra inspirada no single.

O lançamento oficial do novo single será no próximo sábado, 30, na Festa do Doce, no Parque JK, em Belo Horizonte. No evento se apresentam ainda as bandas Cobra Coral e Iconili, além do cantor e compositor Lô Borges, uma das maiores influências musicais da Radiolaria.

Confira a conversa que tivemos  com o Felipe Barros sobre a nova fase da banda e a expectativa pelo prêmio!

Como receberam a indicação para o 26º Prêmio da Música Brasileira (a banda concorre na categoria Canção Popular | Melhor Grupo)? Qual a expectativa?

Recebemos a indicação com muita alegria e emoção! É uma “peneira” muito grande, já que diversos trabalhos de artistas do país todo são submetidos à curadoria, e nos destacarmos com nosso trabalho. A expectativa é a de poder curtir o Prêmio, conhecer artistas que admiramos pessoalmente, e torcer pra levar na nossa categoria. Mas a indicação por si só já é um grande prêmio pra nós!

Essa indicação marca o fechamento o ciclo do Vermelho?

Creio que de certa forma sim. Assim, na verdade o “Vermelho” e suas músicas sempre farão parte da nossa caminhada musical e com certeza algumas canções dele estarão sempre nos shows, mas já estamos trabalhando novas ideias e músicas pra lançar um álbum ano que vem, então já demos um passo adiante da história desse disco, e pretendemos começar um novo ciclo, como indica o novo single que estamos lançando.

Falando nessa mudança… O novo single, ”Beijo de Cinema”, representa o caminho que vocês irão seguir a partir de agora?

De certa forma reflete nossa maneira de compor agora, com um pouco mais de maturidade musical, e sabendo mais o que queremos construir em termos de canção. Mas nada que nos limite em termos de estilo ou proposta. Continuamos compondo coisas variadas e, diariamente, surgem ideias que serão trabalhadas pro próximo disco, e que não necessariamente seguem a linha da “Beijo de Cinema”, até por ser um processo coletivo de produção.

“A concepção inicial era mesmo de tê-lo pintando enquanto a música toca, e fazer disso uma espécie de video-arte, fugindo um pouco do conceito tradicional de clipes com roteiro. Fizemos a coisa toda de forma mais “caseira””.

Junto com o single vocês lançaram o clipe. Qual foi o conceito do vídeo?

Bom, a ideia foi unir nossa música a outra forma de manifestação artística, no caso as artes plásticas. Convidamos um grafiteiro aqui de BH, o Ramar Gama Alvim, pra fazer um trabalho de grafite inspirado no single. A concepção inicial era mesmo de tê-lo pintando enquanto a música toca, e fazer disso uma espécie de video-arte, fugindo um pouco do conceito tradicional de clipes com roteiro e tal. Fizemos a coisa toda de forma mais “caseira”. A pintura foi feita no estúdio do nosso tecladista Pedro Rios, o Locomotiva, e as imagens foram editadas pelo vocalista Felipe Xavier com ajuda da banda na concepção. Quisemos meter a mão na massa mesmo.

O novo álbum já começou a ser produzido? O que podem adiantar?

As novas músicas têm pintado nos ensaios aos poucos, com os arranjos sendo acertados ainda. Mas já estamos executando algumas dessas ideias em show ao vivo, então a galera que vai aos shows já pode ter uma ideia do que vem por aí. É difícil adiantar alguma coisa que possa sintetizar o próximo disco, porque ele ainda não está plenamente concebido. Mas “Beijo de Cinema” acaba sendo um norte que devemos seguir de alguma forma daqui até a gravação do novo trabalho, que acontecerá no final desse ano. 

No show que irão fazer na Festa do Doce tocarão alguma canção nova além de “Beijo de Cinema”? A apresentação reserva alguma surpresa?

Além de “Beijo de Cinema” tocaremos mais umas três ou quatro faixas que devem compor o próximo álbum. De surpresa, além das inéditas, acho que só a participação do nosso querido amigo e produtor musical, o guitarrista Marcelinho Guerra, que vai tocar algumas músicas com a gente, inclusive a “Beijo de Cinema”.

COMPARTILHAR:

Comentários no Facebook