A Faixa Por Eles – Guilherme Ventura

1203
2
COMPARTILHAR:

Guilherme Ventura é compositor e multi-instrumentista de Belo Horizonte. Faz parte de sua discografia, Bucadim de Samba, disco gravado em 2007 com a Banda Cirandeiros, e agora o seu primeiro álbum, Dois Lados. Atualmente, o artista faz parte, também, do coletivo IMuNe (Instante da Música Negra).

O álbum de estreia de Guilherme Ventura é a síntese da essência da busca do artista pelo equilibro das ideias. De um lado um disco que se apresenta solar, místico, que finca os pés nas terras ancestrais e carrega o afeto das relações do artista. Do outro, um disco crente nas ações e relações humanas que geram forças que constroem a história, uma faceta noturna, urbana, de ruas carregadas de outdoor e luzes, grafites e coletividade.

Dois Lados é permissivo, que dialoga com o experimentalismo e o POP, tendo como instrumento em uma das faixas um chinelo de dedo que conduz uma das músicas mais regionais do disco. O disco conta com várias participações como os (as) brasileiros (as) Pedro Morais, Johnny Herno, Maíra Baldaia, Nath Rodrigues, Xicas da Silva, a chilena Claudia Manzo e o congolano Yannik Delass.

A faixa que Guilheme Ventura escolheu contar sobre seu nascimento foi ‘Reza’.

 

Pedrada

Esta canção nasceu após eu ler uma reportagem sobre o episódio de uma menina, que ao sair de um terreiro de candomblé, tomou uma pedrada por pertencer àquela religião. Fiquei pensando sobre a prepotência que às vezes temos em afirmar certos caminhos e doutrinar como se houvesse uma verdade absoluta acerca de um tema que estamos tão distantes de alcançar absolutas confirmações.

O universo e suas possibilidades

A música provoca esse olhar sobre as diversidades das crenças. Cada ser é único, e em uma sociedade que pressiona as pessoas para seguir determinada vertente, é preciso sempre se lembrar das palavras ‘diferença’ e ‘respeito’. É preciso se lembrar do infinito que é o universo e suas diversas possibilidades.

A fé do meu avô

‘Reza’ propõe isso, o respeito a fé individual de cada ser, o respeito a escolha do outro, uma vez que essa escolha só diz respeito a cada um. ‘Reza’ celebra a beleza da diversidade da fé, a fé que não fere o outro. Sempre preocupo e busco  nas canções criar uma narrativa sonora, criar um elo entre o som e o sentido, não atoa inicio a canção não falando da minha fé, mas recebendo a benção conforme a fé do meu avô.

COMPARTILHAR:

2 comments

  1. Val Worlow 30 janeiro, 2020 at 16:57

    I would like to thnkx for the efforts you have put in writing this site. I’m hoping the same high-grade web site post from you in the upcoming also. Actually your creative writing abilities has encouraged me to get my own website now. Really the blogging is spreading its wings rapidly. Your write up is a great example of it.

Leave a reply