A Faixa Por Eles – Maíra Baldaia

439
0
COMPARTILHAR:

Maíra Baldaia é uma cantora, compositora e atriz mineira. A artista leva para o seu trabalho influências da afro-mineiridade e da cultura brasileira.

Em 2016, a artista lançou seu primeiro álbum, POENTE e outras paisagens, o disco traz faixas autorais compostas pela cantora e por outras compositoras mineiras. Em 2017, a cantautora lançou com grande repercussão seu primeiro vídeo clipe da música ‘Insubmissa’. Em seu trabalho, a artista destaca a enunciação da mulher, sobretudo a mulher negra, e leva poesia, versatilidade, identidade e teatralidade para o palco.

Com uma sonoridade que mescla a nova MPB e as influências do tambor afro mineiro, Maíra segue sem estar engessada a um gênero apenas e brinca com a poesia, o blues, o jazz e o samba com um estilo singular, leve e marcante.


Solidão da mulher negra

Maíra Baldaia: A música ‘Insubmissa’, parceria minha com a Talita Barreto, nasceu despretensiosamente em uma tarde em uma praça de Belo Horizonte, mas sua temática importante não tem nada de despretensiosa e, pelo contrário, traz uma discussão essencial: a solidão da mulher negra.


Era uma vez

Maíra Baldaia: Talita cantava que “era uma vez eu ia com você só pra não sentir que estava, eu não sabia quem eu ia ser se eu desfizesse esse nó…” e começamos a conversar sobre isso. Sentaram-se com a gente Lorena Morena e outras amigas de Talita e falamos muito da mulher negra na sociedade, das relações, dos privilégios, dos preconceitos, do feminismo negro e questões profundas que permeiam essa temática, trocamos experiências e reflexões pessoais.


Ecoar sem barreiras

Maíra Baldaia: Eu, então, disse a elas do livro que havia acabado de ler da Conceição Evaristo e de como a obra dessa importante autora negra e mulher me motivava e representava. Assim, me veio a inspiração para aprofundar na dramaturgia da música, partindo para um segundo momento em que essa mulher que antes era silenciada, agora deixava sua voz ecoar sem barreiras, sem padrões, sem submissão, empoderada e dona de si.


Simplesmente é!

Maíra Baldaia: Essa mudança de estado está presente no arranjo feito pela Verônica Zanella e tem seu ápice ou catarse ou cura feminina ou seu sagrado no poema de minha autoria em que soa a voz de uma mulher múltipla, cíclica, forte, que se estreleça à energia da natureza e das orixás femininas. Insubmissa traça um percusso do processo de aceitação e empoderamento da mulher, sobretudo da mulher negra. Quando uma mulher descobre ou resgata sua força nada poderá pará-la, ela simplesmente é!

COMPARTILHAR:

Comentários no Facebook