Noite de Rock (de verdade) Nacional no Circo Voador

1145
2
COMPARTILHAR:

Na noite chuvosa desta sexta (04), o Circo Voador recebeu três shows nacionais de Rockque não deixaram devendo pra gringo nenhum.

Abrindo para uma casa ainda não tão cheia, os cariocas do The Outs mostraram seu som que nos leva de volta para a psicodelia do fim dos anos 60. Com referencias muito claras de Beatles em seus instrumentais e harmonias vocais que lembram Beach Boys, os garotos tocaram as músicas do seu  disco Marmalade Land e foram muito bem recebidos pelo público que ali dançava.

Em seguida, a banda de Natal Far From Alaska subiu no palco e mostrou músicas de seu disco ModeHuman para casa cheia e cerca de 5 pessoas na casa que ainda não o conheciam. A platéia cantou em coro durante todo show, especialmente em ”DinoVSDino“, quando Emmily Barreto deixou o microfone para que todos cantassem a introdução. O som grave e muito pesado dos caras faz contraponto com o uso de sintetizadores. Referências claras de heavy metal no baixo e na guitarra da banda.

Depois de uma apresentação concisa e impecável, Far From Alaska provou mais uma vez ser uma das bandas mais interessantes da nova geração.

Encerrando a noite, os veteranos do Cachorro Grande trouxeram suas músicas mais famosas e as intercalaram com as do seu álbum mais recente, Costa do Marfim. A mistura ficou completa com trecho de “Holiday in the sun” dos Sex Pistols no fim de “Sexperienced” e trecho de “Lugar Nenhum” dos Titãs, ambas pegando a plateia de surpresa. Surpresa boa, claro! Deu pra sentir que os cariocas estavam com saudades do som desses gaúchos. Durante todo show, ouvia-se gritos pedindo hits como “Dia Perfeito” e “Roda Gigante”. Todos atendidos!

A banda permanece como uma das maiores do rock brasileiro, não só no som como na atitude. Regado a muito vinho bebido no gargalo, Beto Bruno dança e canta a plenos pulmões, competindo com a bateria pesada de Gabriel Azambuja. O baixista Rodolfo Krieger, assumiu os vocais duas vezes e segurou a onda de frontman sem perder a pose por trás de seus óculos wayfarer já tradicionais.

Quem esteve no Circo Voador ontem, pode afirmar: O ROCK NÃO MORREU MESMO.

 

Foto: Isabela Taylor

COMPARTILHAR:

2 comments

  1. Denisha Luthe 31 janeiro, 2020 at 00:43

    I needed to send you this very small observation to be able to say thanks a lot once again over the extraordinary tactics you’ve contributed on this website. This is simply generous with people like you to convey unreservedly all that numerous people could possibly have supplied as an e book in order to make some cash on their own, primarily given that you might have done it if you decided. These good tips as well served as a good way to be sure that some people have similar passion really like my own to understand a good deal more when it comes to this issue. I know there are some more enjoyable occasions up front for individuals who take a look at your site.

  2. ig 14 fevereiro, 2020 at 11:04

    Simply want to say your article is as surprising. The clearness in your post
    is simply cool and i could assume you are an expert on this subject.
    Fine with your permission allow me to grab your RSS feed to
    keep up to date with forthcoming post. Thanks a million and please carry on the gratifying work.

Leave a reply