Novos vídeos: Nana, Clara Gurjão, Rico Dalasam e Mona e Outros Mares

295
0
COMPARTILHAR:

A cantora e compositora nana resolveu homenagear um dos bairros mais famosos do Rio, ou melhor, do Brasil, no primeiro single do seu novo trabalho, intitulado CMG-NGM-PDE, que sai em setembro. “Copacabana” traz uma melodia inspirada nas marchinhas de outrora que combinada com a suavidade e doçura da voz da musicista provoca uma sensação de leveza em quem ouve.

Para divulgar a canção nana soltou um clipe simples, porém igualmente encantador. Dirigido por Marccela Moreno e filmado entre a orla de Copacabana e do Leme, o clipe é estrelado pelo ator Thales Cavalcanti (ex-“Malhação”) e pela própria cantora. O visual caleidoscópico propõe uma leitura do tempo e dos trânsitos do amor. 


Gravada originalmente por Caetano no álbum Abraçaço, “Quando o galo cantou”, ganhou uma nova roupagem e um clipe por Clara Gurjão. Dirigido e roteirizado por Marcelo Perdido, o vídeo foi gravado na Urca, mesclando belas imagens do dia amanhecendo na Baía de Guanabara, com imagens da intimidade de um casal, formado pela própria cantora e pelo ator Caíque Nogueira. Um apartamento é transformado em um paraíso particular, onde a relação se desenvolve e o espectador, como um voyeur, acompanha tudo.


O cantor e compositor Rico Dalasam, que nos últimos dias viu seu nome envolvido na polêmica de direitos autorais do hit “Todo Dia”, deixou a confusão de lado e lançou o clipe “Fogo em Mim”. O single – uma parceria com Mahal Pita, do Baianasystem – faz parte do seu novo EP, Balanga Raba, lançado no fim de julho.

Dirigido por  João Monteiro e Fernando Moraes, o vídeo traz Rico e vários bailarinos se divertindo e se acabando de dançar em uma festa no centro de São Paulo.


 O projeto Mona e Outros Mares – que conta com Alice Marcolino, Camilla Merlot e Leonardo Fazio – faz a sua estreia no universo dos videoclipes com “Lounge”, faixa do EP Entre Espelhos, lançado virtualmente pelo Lezma Records. 

Em “Lounge”, 4 garotas – Alice Marcolino, Camilla Merlot, Gabrielle Joie e Marina Cortes Calle – se reúnem em sua sala de estar para realizar um ritual pagão e invocar uma entidade – Alma Negrot – que lhes conduz ao êxtase e ao gozo de seus corpos, de sua arte, de sua sexualidade e de sua potência perante o mundo.  A direção é de Sillas Henrique e da própria cantora.

COMPARTILHAR:

Comentários no Facebook