A Paisagem Sonora de Flávio Venturini

307
0
COMPARTILHAR:

Em uma noite chuvosa de domingo deste inverno nordestino, as criaturas da noite resolveram enfrentar o frio (para nós potiguares, ficou abaixo dos 25, é frio) e foram ao Teatro Riachuelo, em Natal para prestigiar o show Paisagem Sonora, do cantor, compositor e tecladista Flávio Venturini. Nós estivemos lá para conferir tudo de pertinho.

Com mais de quatro décadas de carreira, tendo passado pelas bandas O Terço e 14 Bis, com quem ainda se apresenta esporadicamente, e uma muito bem sucedida carreira solo, Flávio Venturini trouxe em seu show Paisagem Sonora um apanhado de toda a sua trajetória musical, repleta de belíssimas canções que embalam os corações apaixonados até os dias de hoje.

Foto: Patricia Moreira

Após o show de abertura do grupo potiguar Art&Bossa, Flávio iniciou a apresentação com a canção “Máquina do Tempo”, do disco Porque Não Tínhamos Bicicletas, de 2003, seguida de “Fênix”, parceria do cantor com Jorge Vercillo. Na sequência, “Andarilho de Luz”, música composta pelo cantor no Peru e que faz parte do disco O Andarilho, segundo álbum solo de Flávio, lançado em 1984 quando o mesmo ainda integrava o 14 Bis.

Amante declarado da música clássica, Flávio apresentou duas músicas que trazem a influência direta dessa paixão: a instrumental “Fantasia Barroca” e o sucesso “Céu de Santo Amaro”, com música de Bach e letra do próprio Flavio Venturini. Já divulgando o próximo disco, Flávio apresentou ao público a inédita “Mantra de São João”, composta por ele em Salvador.

Mostrando estar antenado com o que tem de novo na música brasileira, Flávio convidou ao palco o cantor e compositor pernambucano Romero Ferro e juntos, interpretaram a música “Só”, de autoria do próprio Romero. É uma atitude louvável ver um veterano como Flávio, abrir seu palco para que a nova geração possa apresentar seu trabalho para o grande público. Fica aí o exemplo para outros artistas.

O Clube da Esquina obviamente não poderia ficar de fora e sendo assim, o público cantou junto o clássico “Clube da Esquina”, de Milton Nascimento, Lô e Márcio Borges, seguida de “Amor de Índio”, parceria entre Beto Guedes e Ronaldo Bastos, e uma homenagem merecida ao saudoso poeta e jornalista Fernando Brant, autor de inúmeras letras clássicas, dentre elas “Canção da América”, sendo essa a canção interpretada por Flávio em sua homenagem.

Foto: Patricia Moreira

Ainda fazendo menção ao Clube, Flávio cantou seu clássico “Nascente”, gravada originalmente no disco Clube da Esquina 2, em 1978, e que no show também foi executada a sua versão em inglês, seguida de utras duas belíssimas canções de sua carreira solo, a bossa nova “Pierrot” e “Beija-Flor”.

Já próximo do final, uma sucessão de músicas que até quem não sabe quem é Flávio Venturini, conhece. “Espanhola”, parceria entre Flávio e Guarabyra, embora o próprio Guarabyra não lembre de ter escrito aquela letra em virtude do alto teor de álcool no momento. “Noites com Sol”, uma das mais conhecidas de sua carreira solo, “Todo Azul do Mar”, clássico do 14 Bis e ao final, “Mais uma Vez”, parceria história entre o cantor e Renato Russo, que contou com a participação do Romero Ferro. O bis ficou por conta de mais dois clássicos do 14 Bis, “Linda Juventude” e “Planeta Sonho”, numa versão remix.

É interessante observar como o estilo de Flávio Venturini não muda com o passar do tempo. O que para alguns possa parecer um problema, no caso de Flávio isso é uma grande virtude, pois mostras a personalidade de alguém que não está preocupado com os modismos da cultura de massa, tendo a qualidade acima dos números. Justamente por essa qualidade, foi uma pena ver tantas cadeiras vazias no teatro. Um show como esse mereceria uma assembléia bem mais, mas os que compareceram, com certeza não se arrependeram.

Mesmo um pouco rouco em virtude do clima, Flávio não deixou a desejar em nada, atingindo seus característicos agudos, mesmo já próximo de seus 68 anos. Um verdadeiro espetáculo musica, com canções de riqueza poética e melodias marcantes, características de um verdadeiros sócio do Clube da Esquina. Aos que o admiram, só resta fazer uma prece para que não se apague esta noite.

 

Set-list

Máquina do Tempo

Fênix

Andarilho de Luz

Fantasia Barroca

Céu de Santo Amaro

Mantra de São João

Só part. Romero Ferro

Clube da Esquina 2

Amor de Índio

Canção da América

Nascente

Pierrot

Beija-Flor

Espanhola

Noites com Sol

Todo Azul do Mar

Mais uma Vez part. Romero Ferro

 

Linda Juventude

Planeta Sonho

COMPARTILHAR:

Comentários no Facebook