Prêmio Hangar 2016: Celebrando a música potiguar e a obra de Belchior

849
0
COMPARTILHAR:

Os principais nomes da música feita no estado do Rio Grande do Norte, se reuniram na noite desta segunda-feira, no Teatro Riachuelo, em Natal, para prestigiar a décima quarta edição do Prêmio Hangar de Música, principal premiação musical potiguar e a mais antiga do Nordeste. Como é tradição, todo ano o Prêmio Hangar homenageia um nome da música popular brasileira e esse ano, o escolhido foi o cearense Belchior (é impressão minha ou de uns tempos pra cá teve um boom de Belchior? Fica aí o questionamento).

Com direção musical de Toni Gregório e direção cênica de Júnior Dalberto, além da direção geral de Marcelo Veni, grande idealizador do Prêmio Hangar, o espetáculo Vamos Cantar Belchior contou com a participação dos cantores Alan Persa, Yrahn Barreto, Analuh Soares, Rodolfo Amaral, Eliano, Laryssa Costa, Fernanda Azevedo, Os Chicos (Rafael Barros e Tiago Landeira), Bruno Alexandre (Hotel Dolores), Luana Alves (Seu Ninguém), Giancarlo e Moisés de Lima (Os Grogs), além dos grupos Dó Maior e Os Carcarás, e as versões mais inusitadas da noite ficaram por conta da rapper Pretta e os cantores Filipe Marcus e Daniel Lucena, vocalistas da banda punk Joseph Little Drop.

No repertório do show, as seguintes músicas: “À Palo Seco”, “Aluncinação”, “Apenas um Rapaz Latino Americano”, “Comentários a Respeito de John – Saia do meu Caminho, “Como Nossos Pais”, “Conheço o meu Lugar”, “Dandy”, “Divina Comédia Humana”, “Fotografia 3×4”, “Lira dos 20 Anos”, “Medo de Avião”, “Na Hora do Almoço”, “Paixão”, “Paralelas”, “Pequeno Mapa do Tempo”, “Todo Sujo de Batom”, “Tudo Outra Vez” e “Velha Roupa Colorida”. Um belíssimo espetáculo musical que, se possível, merece ser apresentado pelo menos mais uma vez. Parabéns à todos os envolvidos.

Sem mais delongas, vamos ao premiados da noite. Com uma comissão formada por músicos, produtores e especialistas, o primeiro prêmio a ser entregue foi o de Compositor do Ano, e quem recebeu foi Yrahn Barreto. Em seguida, foi a vez de Gabriel Souto receber como melhor Produtor Musical de 2016. SamiTarik, que está no Rio de Janeiro cumprindo agenda, recebeu o Hangar de melhor Instrumentista, representado na ocasião pela sua mãe, Maria Soares, e fechando o primeiro bloco de premiações, Luísa & os Alquimistas receberam o prêmio de melhor Disco do Ano, pelo maravilhoso álbum Cobra Coral, prêmio mais que merecido.

Na categoria Linguagens Urbanas, o grupo / coletivo / sociedade / cooperativa Time de Patrão levou o prêmio. A Música do Ano, como já era esperado, foi “Me Leve”, da banda Plutão Já Foi Planeta, em parceria com Luana Alves, vocalista da Seu Ninguém. O prêmio de melhor Vídeo Clip foi para “Failure”, de PheelBalliana. Confesso que só vi esse clipe depois da premiação e, de fato, mereceu o prêmio. Figurinha carimbada, Khrystal levou mais um Hangar pra sua coleção, dessa vez como Intérprete do Ano.

A categoria Banda ou Grupo do Ano foi a de resultado mais previsível de todas, Plutão Já Foi Planeta, que na ocasião, foi representada apenas pela sua vocalista, Natália Noronha, que veio de São Paulo onde a banda cumpre agenda, especialmente para participar da festa. A banda ainda faturou o prêmio de Melhor Show, pela sua apresentação no Festival MADA deste ano. Fechando a noite, o Bando das Brenhas faturou o Hangar de Revelação, embora o grupo não seja tão revelação assim, tendo em vista que é uma banda formada por veteranos da cena musical potiguar. Creio que o Joseph Little Drop ou o Seu Ninguém mereceriam mais, por serem revelações de fato, mas com todas as dificuldades que existem em se fazer música no RN, todos são dignos de receberem esse reconhecimento.

Além das categorias citadas, tivemos quatro prêmios especiais. O professor e compositor Danilo Guanais foi homenageado por sua trajetória de 30 anos de carreira, o projeto musical A Música Brasileira e o RN, do produtor José Dias, o Festival Halleluya Natal na categoria Música Gospel e o livro 100 Discos do Rock Potiguar, de autoria de Alexandre Alves, Alexis Peixoto, Hugo Morais, Olga Costa, Jesuino André Oliveira e Mr. Moo.

Se fazer música já é uma tarefa árdua, premiar é ainda mais difícil. Em um ano complicado, o Prêmio Hangar só pode ser realizado devido a sua equipe extremamente comprometida, principalmente, com a valorização e reconhecimento da música produzida nas terras de Cascudo. Ver a música potiguar sendo reconhecido é algo que fortalece a nossa identidade e nos faz ter orgulho do lugar que nós somos. Vida Longa ao Prêmio Hangar de Música.

 

GANHADORES

Compositor: YrahnBarreot

Produtor Musical: Gabriel Souto

Instrumentista: SamiTarik

Disco do Ano: Cobra Coral (Luísa & os Alquimistas)

Linguagens Urbanas: Time de Patrão

Música do Ano: “Me Leve” (Luana Alves e Plutão Já Foi Planeta)

Vídeo Clip do Ano: “Failure” (PheelBalliana – Dir. Larinha I Filmes &MakingOf)

Intérprete:Khrystal

Banda ou Grupo do Ano:Plutão Já Foi Planeta

Show do Ano: Plutão Já Foi Planeta (Festival MADA 2016)

Revelação:Bando das Brenhas

 

ESPECIAIS

Trajetória:Danilo Guanais

Projeto Musical:A Música Brasileira e o RN (Dir. José Dias)

Música Gospel:Festival Halleluya Natal

Memória:100 Discos do Rock Potiguar

 

Foto: Canindé Soares

COMPARTILHAR:

Comentários no Facebook