Resenha: Murilo Sá & Grande Elenco – ‘Sentido Centro’

248
2
COMPARTILHAR:

Depois de passar por várias bandas, Murilo resolveu dar vazão a sua música e se lançar em carreira solo. Apostando numa mistura de rock dos anos 50/60, com o folk e o psicodélico, o músico apresenta o seu primeiro álbum, Sentido Centro.

Produzido pelo próprio cantor de forma honesta e coerente, o disco traduz a adaptação deste soteropolitano à zona caótica paulistana e tudo o que essa mudança representou em sua vida, como a busca por sua essência, os desencontros, paixões frustradas e sonhos fugazes.

“O disco se chamar Sentido Centro tem a ver com a minha mudança de residência para o centro, mas também com uma busca interior, talvez um resgate da minha essência”, explica Murilo.

Com referência aos Beatles, as 14 faixas que compõe o trabalho são todas de sua autoria, menos “Nem é Sempre que é Assim”, uma parceria com o músico baiano Heitor Dantas. Músicas bem estruturadas e melodias cativantes fazem do disco um forte candidato a revelação de 2014. Destaque para a faixa-título, “Nenhum Grande Herói”, “Está Tudo Bem (It’s Ok)”, “Melhor Viver” e “Muros”.

Nessa incursão de fazer um som seu, Murilo teve a companhia de um Grande Elenco, que irá acompanha-lo nos shows, formado pelo guitarrista Gabriel Guedes (Pata de Elefante/ Júpter Maçã), baixista Felipe Faraco (Jair Naves, Siba, Júpiter Maçã), o baterista Pedro Falcão (Lulina Três Cruzeiros) e o sitarista Rodrigo Bourganos (Bombay Groovy), além de Pedro Pastoriz e Tomas Oliveira (Mustache e os Apaches). O disco, lançado pelo selo 180, está disponível para download gratuito.

COMPARTILHAR:

Comentários no Facebook